Exposição na Rússia mostra vida judaica no Afeganistão

A “Vida em Khorasan Medieval“, da Guenizá da Biblioteca Nacional de Israel está em exposição no Museu Hermitage em São Petersburgo, na Rússia

Cerca de duas dúzias de tesouros extremamente raros da coleção Afegã da Biblioteca Nacional de Israel estão exibição para o público pela primeira vez. A exposição também conta com artefatos raros das coleções do Hermitage, que dão uma sensação de vida mais completa no Khorasan Medieval.

A Guenizá (área de armazenamento de textos sagrados antigos) afegã apresenta praticamente a única documentação original sobre essa comunidade judaica que já prosperou na Rota da Seda, bem como as culturas islâmica e persa da região antes da devastadora invasão mongol. Os documentos dos séculos XI e XIII oferecem uma visão sem precedentes da vida cotidiana, da sociedade e da economia ao longo da Rota da Seda, a antiga estrada que outrora ligava a Europa e a China.

A Guenizá Afegã compreende quase 300 páginas, das quais 250 foram adquiridas em 2016 com o apoio da Fundação William Davidson e do Fundo Haim e Hanna Salomon. É considerada talvez a descoberta mais importante dos manuscritos hebraicos desde a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto, em meados do século XX.

Grande parte da coleção vem de um arquivo da família do comerciante judeu Abu Netzer, do século XI, que viveu na cidade de Bāmiyān, um movimentado centro comercial localizado na Rota da Seda. Um fragmento representa a evidência mais antiga de um texto rabínico encontrado em terras de língua persa ao leste dos centros rabínicos da Babilônia. A coleção, escrita em persa, árabe, aramaico e judaico-persa, também inclui documentos legais, liturgia, poesia, textos da lei judaica, uma crônica histórica e passagens bíblicas.

Embora os estudiosos muçulmanos posteriores tenham escrito histórias das dinastias islâmicas que reinaram sobre a região, essa coleção singular de fontes primárias lançou luz sobre áreas desconhecidas da pesquisa, incluindo economia e geografia, além de história social e política.

A Biblioteca Nacional de Israel digitalizou os materiais e os disponibilizou para a comunidade internacional de acadêmicos e o público em geral. Eles serão preservados e exibidos no novo campus histórico da Biblioteca Nacional de Israel, agora em construção adjacente ao Knesset (Parlamento Israelense) em Jerusalém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *