Ódio a Israel em ascensão na Europa

Durante a mais recente escalada de violência entre Israel e organizações terroristas em Gaza, ativistas antiisraelenses publicaram vários cartazes nas ruas de Londres. Nos cartazes uma frase em letras pretas grandes sobre um fundo branco: “Israel está matando crianças de novo, aproveite seu fim de semana”.

Nos cartazes não havia nome da organização responsável pela publicação. Com o passar das horas, vários usuários nas redes sociais começaram a reportar os cartazes antissemitas. A organização UK Media Watch, que visa promover a imparcialidade nas notícias denunciou a ação e culpou a imprensa por ações como esta: “Esse ódio anti-Israel em Londres foi promovido pela imprensa que publicou as acusações infundadas do Hamas – que mais tarde foram refutadas – dizendo que Israel havia assassinado um bebê de 14 meses”.

A organização estava se referindo à morte de um bebê em Gaza. Inicialmente, foi relatado que a criança havia morrido em um ataque aéreo israelense, mas várias investigações posteriores indicaram que a morte se deu quando um foguete disparado por terroristas palestinos de Gaza não conseguiu atravessar a fronteira, impactando no local onde o bebê estava com sua tia, que também morreu.

Internautas criticaram os cartazes e até pediram ao prefeito de Londres para removê-los. Esta semana, cartazes com os dizeres “Israel é um empreendimento racista” surgiram enquanto grupos judaicos avisavam que o antissemitismo estava em ascensão em meio a uma grande batalha dentro do Partido Trabalhista Inglês. Entre as principais questões na disputa entre os esquerdistas do partido, liderados por Jeremy Corbyn, e moderados tem sido se é aceitável marcar o estado de Israel como racista.

Segundo o jornalista luso-brasileiro Douglas Duarte, a Europa, com raras exceções, abriu suas portas para muçulmanos “refugiados” e estes estão criando verdadeiros governos paralelos. “Essas fotos não mostram paredes pichadas e sim frases em expositores! Alguém pagou por isso e as empresas de mídia aceitaram expor este tipo de mensagem. Essa imigração descontrolada de muçulmanos se passando por refugiados faz parte de um projeto de islamização da Europa, com o objetivo de atacar o coração da democracia, do cristianismo e do ocidente. Os judeus serão os primeiros a serem atacados mas depois, todos os europeus cristãos é quem vão sofrer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *