FDI e polícia frustram contrabando de armas

As forças de segurança israelenses frustraram uma tentativa de contrabando de armas ao longo da fronteira israelense-jordaniana na noite de quinta-feira, apreendendo cerca de 50 armas.

Em um comunicado conjunto na sexta-feira, a Polícia de Israel e as Forças de Defesa de Israel disseram que tropas no Vale do Jordão, com a ajuda de soldados operando câmeras de vigilância, localizaram duas malas com dezenas de armas de fogo ao longo da fronteira.

Autoridades policiais disseram suspeitar que elas seriam vendidas para fins criminosos e terroristas. O valor  estimado é de cerca de NIS 2 milhões (US$ 625.000), segundo a polícia.

No mês passado, quatro pessoas suspeitas de contrabandear armas da Jordânia para Israel foram presas pelas forças de segurança, que confiscaram dezenas de armas de fogo na operação.

Ao contrário de outras fronteiras de Israel – com Egito, Líbano e Síria – a fronteira com a Jordânia é amplamente aberta, muitas vezes sem cercas significativas, e é relativamente desprotegida, tornando-se um local fácil para o contrabando em grande escala.

As FDI intensificaram os esforços para deter as tentativas de contrabando ao longo da fronteira com a Jordânia nos últimos meses, mas as autoridades admitiram que os militares não conseguiram muito sucesso até agora.

LEIA TAMBÉM

A polícia e os militares divulgaram a apreensão como “outro sucesso” das duas autoridades em um “trabalho duro para localizar as fontes de armas ilegais na comunidade árabe, eliminando rotas de contrabando e o comércio através delas”.

A polícia tem buscado cada vez mais reprimir a disseminação até agora irrestrita de armas ilegais na comunidade árabe israelense, que têm sido usadas para realizar números recordes de assassinatos nos últimos anos.

De acordo com a The Abraham Initiatives, uma organização sem fins lucrativos com sede em Lod, Nova York e Londres que faz lobby contra a violência na comunidade árabe, houve 125 árabes mortos em Israel em 2021, um recorde histórico, como resultado da violência e do crime. Desde o início deste ano, outros 12 foram mortos em incidentes de crimes violentos.

Fonte: The Times of Israel
Foto: FDI