IDF lança programa obrigatório de leitura

O chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel (IDF), Aviv Kohavi, lançou uma campanha para que cada comandante leia livros que sejam de relevância para o seu trabalho.

O programa tem por objetivo que os oficiais adquiram conhecimentos relevantes por meio de livros, artigos e filmes. A leitura obrigatória deste ano é do coronel Douglas Macgregor.

Sabe-se que as Forças de Defesa de Israel incorporam estratégias de batalha não convencionais, mas seu projeto mais recente exigirá que os comandantes operem de acordo com o livro.

Os livros, artigos e documentários serão sobre tópicos de história, história militar, liderança, psicologia, estratégia e muito mais.

A cada ano, o chefe de gabinete decidirá sobre o material de leitura obrigatório para todos os oficiais classificados como tenentes coronéis e superiores, e cada comandante decidirá sobre um livro que todos os seus subordinados deverão ler.

“Por trás dessa decisão está o entendimento de que cada comandante e cada soldado é um profissional que precisa ter conhecimentos relevantes, incluindo incidentes militares anteriores que podem ser úteis”, afirmou o IDF no comunicado.

O livro escolhido por Kohavi para 2019 é “Transformação sob fogo”, do coronel Douglas Macgregor do exército dos EUA, “porque é um exemplo prático e estimulante da transformação do exército dos Estados Unidos, especificamente à luz de seus sucessos no campo de batalha”.

Além disso, os comandantes deverão assistir a um documentário de quatro episódios da emissora pública Kan chamado “Lo Tishkot Haaretz” (A Terra não se acalmará) sobre a Guerra do Yom Kipur, em 1973, desde o fracasso da inteligência em seu início para a vitória sobre vários exércitos árabes.

“Os comandantes da IDF devem ler literatura sobre vários tópicos, assistir filmes, assistir palestras sobre  temas relevantes e dedicar seu tempo pessoal e em grupo à pesquisa, estudo e prática de questões centrais”, disse Kohavi. “Nos campos de batalha que constantemente assumem novas formas, o estudo aprofundado dos problemas profissionais é um imperativo, uma necessidade e um mandamento que deriva da consciência e da responsabilidade”.