Israel tem o parlamento mais gay de sua história

O Parlamento israelense conta com seis deputados abertamente homossexuais, um recorde para um país considerado um dos pioneiros em direitos LGBT, mas onde a homossexualidade ainda é tabu nos círculos religiosos.

Após a adoção da lei “norueguesa”, que autoriza os ministros a deixar seu cargo de deputado para outro membro de sua lista política, novos legisladores entraram no Parlamento israelense na última semana, aumentando para seis o número de parlamentares homossexuais, ou seja, 5% da assembleia de 120 deputados.

Segundo Andrew Reynolds, professor de ciências políticas na Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e que estuda a representação política de pessoas LGBT no mundo “isso coloca Israel em quarto lugar, atrás do Reino Unido (8,1%), Liechtenstein (8%) e do Parlamento escocês (7,7%)”, disse à AFP.

LEIA TAMBÉM

O Estado hebraico reconhece os casamentos gays realizados no exterior e autoriza casais do mesmo sexo, e mulheres e homens solteiros, a recorrer à barriga de aluguel. O primeiro deputado abertamente homossexual do Parlamento israelense, Ouzi Even, foi eleito em 2002.

2 thoughts on “Israel tem o parlamento mais gay de sua história

  • 26 de junho de 2020 em 11:59
    Permalink

    “onde a homossexualidade ainda é tabu nos círculos religiosos.” Somente nos religiosos???
    Que estupides mais grande quem escreveu isto! Em qualquer segmento de uma sociedade que valoriza os verdadeiros valores familiares e contra essa anomalia que tenta tomar conta da sociedade!1
    Familia e composta de HOMEM + MULHER+ FILHOS EM COMUM! Tudo o resto e anomalias que querem justificar seus desvios sexuais! Nos pessoas normais nao saimos por ai a cantar nossas preferencias sexuais, porque esses anomalos o fazem???!!!

    Resposta
  • 26 de junho de 2020 em 16:39
    Permalink

    Muito bem dito pelo Gregory!
    Aliás, já que vocês estão publicando estatísticas do knesset, por que não dizem também qual a porcentagem de casados, de quantos filhos por deputado? Ou outras coisas que não vou nem citar. Para que sempre fazer muita onda de LGBT?!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *