Ficar em casa agora é uma ordem!

O governo israelense anunciou, nesta quinta-feira, novas medidas para impedir a disseminação do coronavírus no país. As autoridades terão poderes para impor as restrições parciais de movimento dos israelenses. As nova medidas estarão em vigor por sete dias.

Só será permitida a saída de casa para ir ao trabalho ou fazer compras de alimentos ou remédios, receber serviços médicos ou doações de sangue.

As saídas de casa devem ser realizadas de acordo com as instruções sanitárias para o distanciamento social, como evitar grupamento com mais de 10 pessoas ou manter uma distância de 2 metros.

“Nós impusemos medidas mais abrangentes de quarentena em casa, restringimos as congregações, reduzimos os locais de trabalho e implementamos meios digitais para identificar e isolar portadores do coronavírus. Essas medidas retardaram o ritmo da epidemia em Israel em comparação com muitos outros países, mas a epidemia continua a se espalhar”, alertou Netanyahu.

“Tempos difíceis exigem decisões difíceis. Anteontem, pedi que seguissem as instruções do Ministério da Saúde e ficassem em casa. A resposta não foi suficiente”, lamentou.

“Hoje anuncio um novo passo na guerra contra o coronavírus. O governo aprovará regulamentos de emergência para restrição de movimento. Agora isso não é uma solicitação, não é uma recomendação, é uma ordem obrigatória que será implementada pelas autoridades”, enfatizou.

“O povo israelense será ordenado a ficar dentro de suas casas. Isto não é uma sugestão. Não é uma recomendação. Agora é uma ordem”, alertou o primeiro ministro.

Netanyahu disse que entendeu que essa medida não é fácil, mas pediu a cooperação dos cidadãos. “O objetivo dessas medidas é garantir que o menor número de pessoas infecte outras e que o menor número de pessoas seja infectado. É sobre salvar muitas vidas. Salve a família, amigos e vizinhos da morte”.

“Este é um passo diferente de tudo o que foi dado desde a fundação do Estado de Israel”, disse Netanyahu, acrescentando que Israel nunca enfrentou nada como o coronavírus e enfatizou que a cooperação de todos é vital para manter o surto de COVID-19 distante.

Sobre a possível escassez de instrumentos médicos nos hospitais israelenses, Netanyahu disse que “o mundo inteiro carece de equipamentos de proteção médica”. Mas garantiu que Israel pode realizar 3.000 testes diariamente até domingo e 5.000 na próxima semana.

Não houve detalhes imediatos sobre qual seria a punição para os infratores, embora vários relatórios anteriores tenham dito que seriam multas. “Vocês todos são guerreiros na luta contra o coronavírus”, diz Netanyahu à nação. “Não diga que isso não vai acontecer comigo, porque se você não agir corretamente, isso acontecerá com você. Não diga que ficará bem, porque se não agir corretamente, não ficará bem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *