Governo de Israel suspende mais restrições

O governo aprovou a reabertura de todas as lojas e estabelecimentos ao nível da rua desde que respeitem as regras de prevenção: barreiras de separação entre funcionários e clientes, dois metros de distância social, regulamentos rígidos de higiene, uso obrigatório de máscaras e luvas e manter um pequeno número de pessoas no interior das instalações.

Os empresários devem enviar uma declaração juramentada às autoridades locais nas quais concordam em cumprir os seguintes requisitos: um funcionário na entrada deve medir a temperatura dos clientes e perguntar se eles apresentam os sintomas da doença. O controle será intensificado e o comércio que não estiver dentro das regras terá que pagar uma multa de 2.000 shekels (US$ 565).

Os shopping centers continuarão fechados e lanchonetes e restaurantes, que até agora só podiam entregar pedidos em casa, poderão oferecer produtos para viagem, mas a permanência dos clientes nas instalações continuará sendo proibida.

O transporte público aumentou, e 30% da força de trabalho em empresas e indústrias, com um máximo de dez pessoas poderão retornar ao trabalho.

Um pacote de cerca de 2,1 bilhões de euros foi aprovado para apoiar trabalhadores por conta própria e pequenas empresas.

Os cabeleireiros e salões de beleza também podem abrir, obedecendo aos mesmos padrões das demais lojas, mas também devem desinfetar a cadeira, lavar as toalhas e o cabeleireiro deve usar luvas, máscara e protetor facial (máscaras) descartáveis.

O uso de máscaras é obrigatório nas vias públicas a partir dos sete anos de idade. Aqueles que praticam esportes ou que, por algum motivo de saúde, são impedidos de fazê-lo e possuem autorização de exceção, são dispensados.

Jogadores de futebol e atletas olímpicos voltam a treinar

 

O Ministério da Saúde de Israel aprovou também que as equipes profissionais de futebol retornem aos treinamentos, com o campo dividido em duas partes, cada uma com 10 jogadores, incluindo o uso de uma bola, mas sem contato entre os jogadores.

Desde meados de março, todas as atividades de futebol foram suspensas devido à disseminação da pandemia de coronavírus e, algumas semanas antes, as equipes já estavam jogando em estádios vazios.

Os atletas olímpicos também poderão voltar aos seus regimes de treinamento. O retorno à normalidade será aplicado a todas as organizações e atletas participantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos e aos 350 membros da Associação de Esportes Motorizados Ayelet.

Além das centenas de jogadores profissionais e técnicos, existem centenas de outras famílias que vivem da indústria do futebol: fotógrafos, equipe de produção, técnicos, administradores, funcionários de estádios, jardineiros, fornecedores de alimentos e roupas, empresas de segurança e muito mais, afirmou Erez Kalfon, presidente da Liga de futebol profissional.