“Obstáculos à oração igualitária no Kotel são ‘inaceitáveis'”

Os obstáculos à oração igualitária no Kotel (Muro das Lamentações) em Jerusalém são inaceitáveis, disse o primeiro-ministro Yair Lapid nesta terça-feira.

“As limitações nas orações fazem de Israel o único estado ocidental em que os judeus não têm liberdade de culto, o que é inaceitável para mim”, disse Lapid em uma entrevista coletiva.

A observação de Lapid veio em resposta a uma pergunta sobre um tweet da enviada especial dos EUA para monitorar e combater o antissemitismo Deborah Lipstadt.

Referindo-se a um artigo sobre extremistas ortodoxos que atacaram participantes de um bar mitzvah igualitário e rasgaram livros de orações, Lipstadt escreveu que estava “profundamente perturbada pelas ações preocupantes de um grupo de extremistas na semana passada no Kotel”.

“Não nos enganemos. Se um incidente tão odioso – tal incitamento – tivesse acontecido em qualquer outro país, haveria pouca hesitação em rotulá-lo de antissemitismo”, escreveu ela.

Lapid disse que era “contra toda violência, especialmente no Kotel, contra pessoas que querem rezar como sua fé permite. Isso não pode acontecer. A violência não é aceitável para mim ou para o governo. Se necessário, falarei com o chefe de polícia”.

LEIA TAMBÉM

Lapid se recusou a responder se o governo sob sua liderança autorizará o acordo do Muro das Lamentações sobre como a seção igualitária deve ser gerenciada, que o ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu congelou seis anos atrás. Isso exigiria uma votação na Knesset, que foi dissolvida, e precisaria de uma maioria legislativa, que o governo não tem.

A “seção de Israel” do Muro das Lamentações é separada da praça principal, que é segregada por gênero. Ela foi projetado para uso por correntes não-ortodoxas do judaísmo em que homens e mulheres rezam juntos. Nos últimos anos, desde sua expansão, tem sido atormentado por interrupções de haredim e outros manifestantes ortodoxos que tentam impedir que os cultos ocorram ou tentam separar homens e mulheres.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Cortesia Mulheres do Muro

One thought on ““Obstáculos à oração igualitária no Kotel são ‘inaceitáveis'”

Fechado para comentários.