Israel fará o primeiro exercício de pandemia

Israel vai realizar um exercício nacional de COVID para examinar a prontidão do país para o surto de uma nova variante letal de COVID-19. Esta simulação nacional é a primeira de seu tipo no mundo.

O exercício será realizado no formato de jogos de guerra e será chamado de “Omega Drill”.

O primeiro-ministro Naftali Bennett disse: “O Estado de Israel está em uma situação excelente. Vencemos a quarta onda e estamos a caminho de sair da variante Delta. No entanto, ao mesmo tempo, estamos sempre olhando para frente e nos preparando para a continuação da campanha. Não estamos ‘fechando a loja’. Nem estamos fechando os sistemas de gerenciamento e a ordem de combate contra o vírus. Pelo contrário, continuamos a fazer exercícios e a nos desafiar. Enquanto a situação de coronavírus no mundo está se deteriorando, Israel está seguro e protegido. A fim de manter isso, e para salvaguardar a continuidade da vida normal, devemos continuar a monitorar de perto a situação e nos preparar para qualquer cenário”.

O exercício, que será conduzido pelo Diretor de Defesa Civil do Ministério da Defesa, Brig.-Gen. (ret) Moshe Edri, será realizado no National Management Centre em Jerusalém, que é projetado para a gestão de crises nacionais.

Entre os participantes estarão diretores gerais de ministérios do governo, representantes de agências setoriais, o coordenador nacional do coronavírus, o Diretor do Serviço de Saúde Pública, o Presidente do Comitê de Constituição, Lei e Justiça da Knesset e representantes do Conselho de Segurança Nacional e o exército (incluindo o Comando de Frente Nacional).

LEIA TAMBÉM

O exercício, conduzido no formato de um jogo de guerra, consistirá em uma simulação interorganizacional de alto nível que testa a gestão nacional de uma nova cepa, a cepa “Omega”, que ainda não foi descoberta no Estado de Israel.

De forma a simular uma situação real, o exercício será realizado em três sessões que irão simular a passagem do tempo entre os vários cenários. Avaliações ministeriais e interministeriais serão realizadas no âmbito das quais os dados serão analisados ​​e recomendações para ação serão apresentadas. Depois disso, será realizada uma avaliação geral, durante a qual o Primeiro-Ministro emitirá instruções a todas as agências para a ação continuada.

O exercício irá lidar com vários aspectos de um cenário de pandemia e testará os sistemas setoriais em situações extremas ao longo das etapas do exercício:

– Aspectos da política: Restrição de reuniões, restrição de movimento, política de quarentena, planos de eventos (feriados, etc.), bloqueios/toques de recolher locais ou em todo o país e turismo.

– Aspectos de saúde: monitoramento, acompanhamento, supervisão e advertências durante o desenvolvimento de uma variante nova e perigosa, continuidade, teste da proteção fornecida por vacinas, investigações epidemiológicas, testes, capacidade hospitalar, aquisições, realização de testes em massa, vacinas (doses de reforço, outras vacinas, etc.)

– Aspectos legais: bloqueios/toques de recolher locais ou regionais, política de restrições, aprovação de regulamentos específicos

– Aspectos econômicos: assistência ao esforço nacional, suporte econômico para a população

– Aspectos de segurança pública: aplicação de quarentenas, bloqueios/toques de recolher locais, aplicação de regulamentos

– O sistema educacional: salvaguardar a saúde dos alunos, reduzir o tamanho das turmas, fechar escolas em centros de surtos, mudar planos de educação (cápsulas, ensino a distância)

– Aeroporto Internacional Ben-Gurion e as passagens de fronteira: política de embarque e desembarque, controle, fechamentos seletivos

– Diplomacia pública e meios de comunicação: informar o público e aumentar a transparência, respondendo ao discurso na internet, simulando a Direção Nacional de Diplomacia Pública

Fonte: Arutz Sheva
Foto: Olivier Fitoussi (Flash90)

2 thoughts on “Israel fará o primeiro exercício de pandemia

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: