Turistas podem desencadear quinta onda

De acordo com alguns especialistas em saúde pública, variantes do COVID-19 entram em Israel pelo aeroporto Ben-Gurion, então permitir que turistas com apenas duas doses da vacina entrem no país pode desencadear uma quinta onda da pandemia.

Os ministérios da Saúde e do Turismo anunciaram, na segunda-feira, uma nova política que permitirá que pequenos grupos de quatro a 50 pessoas entrem em Israel, mesmo que os viajantes não se qualifiquem como totalmente vacinados de acordo com os padrões do Ministério da Saúde.

Os israelenses só são considerados totalmente vacinados se foram vacinados duas vezes nos últimos seis meses ou receberam uma dose de reforço desde então.

A chefe dos Serviços de Saúde Pública, Dra. Sharon Alroy-Preis, disse que a decisão foi tomada em colaboração com as autoridades de saúde e que esses turistas teriam restrições suficientes, incluindo apenas permissão para viajar em cápsulas, teste diário de antígeno e muito mais.

No entanto, “sob todos os aspectos, não é uma boa decisão”, ressaltou o Prof. Yehuda Adler, especialista em cardiologia, medicina interna e gestão de saúde e consultor de coronavírus para as autoridades locais.

LEIA TAMBÉM

“A mudança provavelmente faria com que uma variante entrasse em Israel, pode fazer com que os israelenses que precisam de quarentena burlem esta etapa, porque por que eles deveriam se isolar se os turistas não precisam? e aumentará a frustração da população com o governo, que está essencialmente transmitindo a mensagem de que eles confiam nos turistas mais do que em seu próprio povo”, disse ele.

Menos restrições

O primeiro-ministro Naftali Bennett e o ministro da Saúde Nitzan Horowitz anunciaram na terça-feira que concordaram em suspender os limites de participantes em reuniões ao ar livre, assim como remover as restrições do “passaporte verde” em alguns eventos.

As novas regras estão sujeitas à aprovação do gabinete do corona. As mudanças também precisam da aprovação da Comissão de Constituição, Lei e Justiça da Knesset antes de entrarem em vigor, na quinta-feira.

De acordo com a declaração do primeiro-ministro e do ministro da saúde, não haverá mais restrições ao número de participantes em encontros ao ar livre. Além disso, a partir de agora, nos eventos culturais, esportivos ou religiosos realizados ao ar livre com um máximo de 1.000 participantes sentados, não será exigida a apresentação do passaporte verde.

Os eventos internos com até 100 pessoas sentadas não terão a exigência do passaporte verde.

A capacidade dos salões de eventos internos será elevada de 400 para 600 pessoas.

A necessidade de usar máscara em reuniões ao ar livre com mais de 100 pessoas será eliminada (reuniões menores não requerem mais máscara). No entanto, a obrigação de usar máscaras em ambientes internos permanece inalterada.

O comunicado afirma que as decisões foram tomadas em consulta com profissionais de saúde.

Fontes: The Jerusalem Post e AJN
Foto: Noam Revkin Fenton (Flash90)

2 thoughts on “Turistas podem desencadear quinta onda

Fechado para comentários.