Tel Aviv entra na bolha imobiliária global

Espera-se que o mercado imobiliário de Tel Aviv esfrie, mas os preços dos imóveis ainda estão altos, de acordo com um relatório do UBS Global Wealth Management, publicado antes de Rosh Hashaná, que pela primeira vez incluiu uma cidade israelense em sua lista de bolhas imobiliárias globais.

O “Global Real Estate Bubble Index 2019” do banco suíço mede os preços dos imóveis em 24 grandes cidades do mundo. O índice deste ano incluiu, pela primeira vez, Madri, Moscou e Tel Aviv, listadas como cidades com altos preços de imóveis, bem como Dubai, onde os preços estão listados como “equilibrados”.

Segundo o UBS, entre as cidades cobertas pelo índice, Tel Aviv registrou os maiores aumentos de preços da habitação nos últimos 30 anos. O relatório constatou que os preços dos imóveis em Tel Aviv aumentaram quase consistentemente entre 2003 e 2017, o que levou o mercado a entrar em uma “faixa de preço de bolha”.

No entanto, segundo o relatório, a crescente dificuldade de comprar um apartamento e o aumento dos preços das hipotecas levaram a uma queda real de quase 10%. “A festa acabou”, declarou o relatório do UBS, explicando que os preços da habitação em Tel Aviv estavam “se aproximando do normal”.

Os israelenses de classe média e alta precisam trabalhar por 11 anos para poder comprar um apartamento de 200 metros quadrados no centro de Tel Aviv, semelhante aos anos necessários para comprar uma casa em Tóquio ou Nova York, mas menos que em Hong Kong e mais do que o necessário para comprar uma casa em Munique, Moscou, Frankfurt ou em muitas outras cidades importantes.

Tel Aviv ocupa a 13ª posição na lista das “cidades bolha” do mundo, o que significa cidades nas quais os preços das casas são escandalosos e têm mais chances de ver suas bolhas imobiliárias estourarem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *