Israel reconhecerá fibromialgia como deficiência

Israel reconhecerá a fibromialgia, uma doença que provoca dores musculares crônicas, como uma deficiência.

Pessoas com esta condição serão reconhecidas como deficientes e poderão reivindicar até 40 por cento de um subsídio de invalidez total, anunciou o Ministro do Bem-Estar e Assuntos Sociais, Meir Cohen.

A medida faz de Israel um dos primeiros países do mundo a tomar medidas de longo alcance para pacientes com essa condição.

A fibromialgia é caracterizada por dor crônica generalizada e, em alguns casos, exaustão física, dificuldades cognitivas e a sensação de que o sono não alivia o cansaço. Consequentemente, impede que muitas pessoas sigam uma rotina normal de trabalho.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde e a Asaf, a associação israelense de fibromialgia, sugerem que cerca de 4 por cento dos israelenses (cerca de 240.000 pessoas) sofrem com isso.

LEIA TAMBÉM

Os que sofrem de fibromialgia frequentemente expressam sua frustração porque, na ausência de sintomas físicos que podem aparecer em exames de sangue ou tomografias, os profissionais médicos não levam sua condição a sério e, consequentemente, não são apoiados financeiramente pelas autoridades.

No entanto, na última década, a fibromialgia se tornou mais aceita entre os médicos, e agora o Instituto Nacional de Seguros de Israel concluiu o processo para reconhecê-la como uma deficiência.

Fonte: Aurora
Foto: Arocamora, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons