Israelense faz doação para defesa de jovem no Chipre

Um israelense fez a maior doação para a defesa legal da britânica de 19 anos que está presa em Chipre por acusar falsamente 12 israelenses de estupro.

A família da jovem começou uma campanha de arrecadação de fundos no valor de £ 15.000 (US$ 18.188) para pagar honorários advocatícios. A campanha vem após a renúncia do advogado da jovem em Chipre.

A página GoFundMe, intitulada “Ajude a vítima adolescente a obter justiça em Chipre”, afirma: “Na madrugada de domingo, 28 de julho de 2019, após uma semana de eventos traumáticos, nossa filha foi presa por falsas alegações de estupro em Chipre e está atualmente detida na prisão, aguardando julgamento”.

“Nós afirmamos que a declaração foi dada sob coação e em violação de seus direitos, resultando no colapso da investigação inicial e acusações de corrupção pública contra ela.”

“Ela está sozinha em uma prisão no exterior depois de uma série de eventos, só queremos trazê-la para casa. Estamos buscando fundos para pagar a representação legal necessária em Chipre.”

A jovem está detida em um centro de detenção em Nicósia até o julgamento, que foi adiado para 19 de agosto, e está buscando um novo advogado. Seu advogado anterior saiu do caso, dizendo que ele tinha um “sério desacordo” com seu cliente sobre a melhor maneira de apresentar sua defesa.

Ela foi acusada de corrupção pública, que pode levar a uma sentença de prisão de um ano.

A jovem disse aos investigadores que ela fez a acusação de estupro porque se sentiu “irritada e insultada” quando alguns israelenses gravaram um vídeo dela fazendo sexo consensual com vários deles e postaram nas redes sociais.

Um israelense que vive em Miami doou US$ 9.000 para a campanha.

Aryeh Fraser chama a contribuição para a campanha de uma “doação humanitária”.

Muitos dos outros 265 doadores da página tinham nomes que soavam israelenses e alguns se identificaram como israelenses.

A campanha superou sua meta em mais de 1.000 libras britânicas na manhã de sábado.

“Eu não estou justificando suas reivindicações. Esta é uma doação humanitária”, disse Fraser.

Fraser disse que ficou feliz em saber que os jovens israelenses haviam sido libertados da prisão e que agora se preocupava apenas em ajudar a família da mulher.

“Tudo o que estamos tentando fazer é levar a jovem para casa e acabar com isso. Colocá-la em julgamento em Chipre, não ajudará ninguém”, disse Fraser.

Uma mulher israelense da cidade de Amirim, na Galileia, também doou para a campanha. “Eu queria mostrar que nem todos os israelenses são iguais. É importante mostrar que somos realmente solidários”, disse ela.

“Filmar um ato sexual sem permissão é ilegal em Israel, mas não é um crime em Chipre e isso para mim é uma violação”, disse a mulher.

A jovem e seus pais afirmam que ela foi coagida pela polícia a retirar a queixa de estupro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *