Israelenses começam a receber a ajuda do governo

O Bituach Leumi (Instituto Nacional de Seguros de Israel) começou, no domingo 02/08, a executar o programa de estímulo à economia devido ao coronavírus. Cerca de 1,2 milhão de israelenses já receberam a ajuda do governo, e espera-se o restante da população receba nos próximos dias.

A primeira parte dos depósitos foi destinada a idosos e famílias com crianças menores de 18 anos. O Bituach Leumi continuará transferindo pagamentos diariamente até que todos recebam seus benefícios. Quando totalmente implementado, o programa desembolsará mais de 6,5 bilhões de NIS (US$ 1,9 bilhão) ​​para os cidadãos elegíveis.

A medida foi aprovada depois de várias revisões desde que foi divulgada pela primeira vez pelo primeiro ministro Benjamin Netanyahu, em 15 de julho, quando afirmou que era vital oferecer este dinheiro rapidamente, a fim de movimentar novamente a economia.

Segundo o plano original, todos os israelenses com 18 anos ou mais deveriam receber um pagamento único de 750 NIS (US$ 218). Os casais com um filho receberiam 2.000 NIS (US $ 583), passando para 2.500 NIS (US $ 729) para aqueles com dois filhos e 3.000 NIS (US$ 875) para aqueles com três ou mais.

LEIA TAMBÉM

Mas as críticas ao plano de desembolsar dinheiro a todos os israelenses, independentemente da renda ou se foram prejudicados economicamente pelas restrições impostas pelo governo para conter o vírus, levaram Netanyahu a voltar atrás e anunciar que pessoas com renda alta não receberiam a ajuda enquanto que as pessoas beneficiárias de outros programas do governo receberiam mais.

Altos funcionários do tesouro, incluindo o diretor Keren Terner Eyal, se opuseram ao plano antes mesmo de sua divulgação, comparando-o a “jogar malas de dinheiro que não temos no mar”.

De acordo com o plano revisado aprovado na quarta-feira, as famílias receberão 500 NIS (US$ 146) por cada um dos quatro primeiros filhos e outros 300 NIS (US$ 87) a partir do quinto filho.

O Ministério das Finanças também concordou em aumentar os pagamentos para os soldados recém-liberados das FDI, aumentando a quantia de 750 NIS (US$ 219) para 1.250 NIS (US$ 365) para os que deram baixa ​​no ano passado.

As mudanças ocorreram após negociações entre o tesouro e o parlamentar Moshe Gafni, que supervisiona o Comitê de Finanças do Knesset e ameaçou bloquear todo o plano de ajuda se nenhuma mudança fosse feita.

As comunidades ortodoxa e árabe têm taxas de natalidade significativamente mais altas do que outros israelenses, o que significa que a emenda os beneficia principalmente.

Segundo a Bureau Central de Estatísticas, 55% dos israelenses estavam preocupados com sua capacidade de cobrir as despesas mensais durante a crise econômica e mais de um quinto havia reduzido sua ingestão de alimentos durante a crise para economizar dinheiro ou foi morar com alguém que o tinha.

Durante um bloqueio nacional em março-abril, a economia chegou a uma paralisação quase total. O desemprego subiu para 26% e mais de um milhão de israelenses estavam desempregados. Nos últimos meses, as restrições foram aliviadas, mas o desemprego permanece acima de 20%, com cerca de 800.000 israelenses desempregados, segundo o Serviço de Emprego de Israel.

One thought on “Israelenses começam a receber a ajuda do governo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *