Júri repensa prêmio para apoiadora do BDS

O júri do prêmio literário de Nelly Sachs, na cidade de Dortmund, Alemanha, está reconsiderando sua decisão de homenagear uma autora que apoia o movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) contra Israel.

O prêmio, que homenageia o poeta e dramaturgo judeu Nelly Sachs (1891-1970), reconhece os autores que defendem “tolerância, respeito e reconciliação”. O prêmio de 15.000 euros é oferecido a cada dois anos. A autora britânica Kamila Shamsie, nascida no Paquistão, foi escolhida para receber o prêmio por seu trabalho que “constrói pontes entre sociedades”.

No entanto, a autora apoia o movimento anti-Israel BDS, que o Bundestag alemão declarou em uma resolução como antissemita. Várias cidades alemãs já haviam aprovado leis proibindo qualquer apoio oficial ao movimento. Shamsie se recusou a publicar seu trabalho em Israel e reiterou seu apoio ao movimento de boicote.

O júri do prêmio disse que estava reconsiderando sua eleição, e a própria Shamsie instou a cidade a nomear outra pessoa. A administração da cidade disse em comunicado que o júri não conhecia as opiniões políticas de Shamsie durante suas deliberações. Entre os vencedores anteriores do prêmio Nelly Sachs estão Margaret Atwood, Rafik Schami, Christa Wolf e Milan Kundera.

O blog ruhrbarone foi o primeiro a questionar o prêmio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *