Kotel é desinfetado para evitar contágio pelo corona

Visitadas e tocadas por milhares de pessoas em Israel e em todo o mundo ao longo do ano, as pedras do Muro das Lamentações foram desinfetadas e limpas para proteger aqueles que chegam ao local sagrado no momento em que a crise do coronavírus assola o mundo.

Com a semana de Pessach se aproximando, o costume continua e, nesta terça-feira, os bilhetes e as mensagens de oração colocadas entre as pedras nos últimos seis meses foram removidas usando luvas descartáveis, máscaras e outros equipamentos de proteção, além de desinfetante para esterilizar o local. Os papeis foram coletadas em sacos especiais e serão enterradas junto com outros papéis sagrados em uma genizah no Monte das Oliveiras.

A tradicional limpeza é realizada antes do Rosh Hashaná, o Ano Novo judaico, e antes de Pessach, que neste ano começa em 8 de abril e comemora o êxodo do povo judaico do Egito.

Desde o último Rosh Hashaná, mais de 18.000 mensagens de todo o mundo foram enviadas para o Muro da Lamentações através do seu site.

O rabino Shmuel Rabinowitz, rabino do Muro e dos locais sagrados, acompanhou pessoalmente a remoção das notas e orou pela recuperação de todos os que adoeceram, dentre a nação judaica e as nações ao redor do mundo.

“Durante esses dias difíceis em que a praga está se espalhando pelo mundo e ameaçando nossas vidas, reunimos orações de todo o mundo no restante de nosso templo destruído, orações ao Criador do Universo para que Ele nos envie uma cura completa e boa saúde e nos redimimos deste vírus difícil que atacou o mundo”, afirmou.

 

Foto: Yonatan Sindel/Flash90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *