Máscaras de Hitler a venda em lojas de Praga

A polícia tcheca iniciou uma investigação depois que os embaixadores da Alemanha e Israel na República Tcheca mostraram seu desconforto com a venda de máscaras do ditador nazista Adolf Hitler no centro de Praga.

“Os tchecos sofreram muito sob o regime nazista. Como é possível que esse lixo seja vendido no centro de Praga?”, escreveu o embaixador alemão na República Tcheca, Christoph Israng, em uma mensagem postada no Twitter. O diplomata alemão incluiu em sua mensagem uma foto da loja onde essas máscaras de borracha eram vendidas, aparentemente por ocasião da celebração do Dia das Bruxas.

O embaixador de Israel, Daniel Meron, também interveio nas redes sociais para denunciar que a venda desse tipo de material significa “uma afronta aos sobreviventes do Holocausto e sua memória”. “80 anos após o início da Segunda Guerra Mundial e 75 anos após a libertação de Auschwitz (campo de extermínio nazista), devemos unir forças para lutar contra essa disseminação de extremismo e ódio”, escreveu Meron em um tweet.

Os historiadores estimam que até 250.000 judeus tchecos foram mortos no Holocausto pelos nazistas durante a ocupação do país da Europa Central.

Desde 1991, a República Tcheca – então Tchecoslováquia – proíbe qualquer exibição pública de ideologias ou movimentos que visem suprimir direitos e liberdades ou incitar ao ódio, embora a simbologia nazista não seja explicitamente proibida. Na Alemanha e na Áustria, é proibida a exibição de ideias e objetos ligados ao nazismo.

O ministro do Interior, Jan Hamacek, confirmou que a polícia está investigando a venda dessas máscaras, mas a CTK (Agência de Notícias Tcheca) lembra que a polícia já havia investigado a venda de máscaras de Hitler no passado e concluiu que não era um crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *