Método para reparo de lesões nos nervos periféricos

Pesquisadores da Universidade Bar-Ilan desenvolveram com sucesso condutos de orientação nervosa preenchidos com “gel inteligente” que aceleram a regeneração de fibras nervosas rompidas, permitindo o reparo rápido de lesões nervosas periféricas.

Centenas de milhares de pessoas em todo o mundo sofrem de lesões nos nervos periféricos, o que muitas vezes as deixa com deficiências de longo prazo.

O sistema nervoso periférico é análogo ao sistema circulatório: uma rede de vasos que atinge todas as partes do corpo, mas em vez de sangue fluindo através dos vasos, os sinais elétricos propagam informações através de fibras finas chamadas axônios, que são engolfadas pelos troncos nervosos.

Esses troncos nervosos são a rede de comunicação que transmite informações de todas as partes do corpo para o cérebro, coordenando a atividade e gerando funções motoras e sensoriais. Se um dos troncos nervosos estiver danificado ou rompido, uma condição comum em lesões de membros, o paciente pode sentir dor, paralisia e até mesmo invalidez para o resto da vida.

Em tais situações, a intervenção cirúrgica é necessária para reparar o nervo danificado. Os tratamentos padrão são a sutura direta dos nervos descolados ou, nos casos em que a lacuna formada no tronco do nervo é grande, os cirurgiões transferem um tronco nervoso intacto da perna do paciente e o implantam no local da lesão, criando danos em outra área.

Um dos principais problemas que impedem a regeneração ideal é que os axônios dentro dos nervos cortados têm dificuldade para se regenerar e alcançar seu alvo. Isso pode ser atribuído em parte a axônios mal orientados que brotam em várias direções, diminuindo a probabilidade de atingirem seus órgãos-alvo.

LEIA TAMBÉM

“Eles precisam de dicas de orientação para ajudá-los”, explicou a Profª Orit Shefi, da Faculdade de Engenharia Kofkin da Universidade Bar-Ilan, do Instituto de Nanotecnologia e Materiais Avançados e do Centro Multidisciplinar de Pesquisa do Cérebro de Gonda (Goldschmied).

A Dra. Merav Antman-Passig, pesquisadora em seu laboratório, acrescentou que “essas instruções de orientação precisam permanecer no corpo por um longo tempo, uma vez que os axônios crescem bastante lentamente”.

Os pesquisadores preencheram condutos nervosos ocos com géis de colágeno alinhados. No corpo, as fibras de colágeno alinhadas ajudam a encontrar o caminho do axônio, mas, nos guias nervosos ocos disponíveis hoje, as fibras de colágeno alinhadas estão ausentes. O gel de colágeno alinhado atua como uma estrutura para os axônios e direciona seu crescimento.

Os pesquisadores mostraram que com o implante dos tubos e o uso do gel de colágeno projetado, a restauração motora funcional foi maior, em comparação com o uso de outros tipos de condutos e em comparação com condutos com gel não enriquecido.

Os pesquisadores agora estão explorando as opções de comercialização e esperam que sua inovação ajude a recuperação funcional e acelere o reparo do nervo após uma lesão.

Fonte: Hamodia