Jogador holandês é alvo de mural antissemita

Steven Berghuis, um importante jogador de futebol holandês que anunciou que havia assinado com o Ajax, time da primeira divisão associado por alguns fãs à comunidade judaica, foi alvo de um mural em estilo nazista.

Berghuis, de 29 anos, foi retratado vestindo um uniforme de campo de concentração marcado com um “Judenstern” ou “Estrela do Judeu”. Ele também foi mostrado vestindo uma kipá e com um nariz “judeu” estranhamente grande.

Uma frase ao lado do desenho declarava: “Os judeus sempre fogem”.

O mural apareceu após a notícia de que Berghuis, que também joga pela seleção holandesa, estava trocando o Feyenoord, de Roterdã, pelo amargo rival de Amsterdã, o Ajax. O mural foi removido algumas horas depois.

Embora o Ajax não tenha laços formais com a comunidade judaica holandesa, alguns fãs do clube se autodenominam “Joden” – “judeus” – e agitam bandeiras israelenses nos jogos. As partidas com Ajax são frequentemente interrompidas por gritos antissemitas de torcedores adversários, incluindo “Hamas, Hamas, judeus para o gás”.

A organização judaica holandesa CIDI, que monitora e combate o antissemitismo na Holanda, disse ter uma queixa judicial registrada na polícia. Um porta-voz da entidade disse que há uma “boa chance” de que o criador do mural seja rastreado e preso por meio de imagens de circuito interno de TV.

LEIA TAMBÉM

“Esta imagem é extremamente discriminatória contra os judeus e não pode ser entendida como sendo apenas sobre Ajax”, disse o porta-voz do CIDI.

Um comunicado divulgado pelo Feyenoord condenou o mural, mas se absteve de se desculpar “porque ainda não se sabe quem o fez ou sua relação com o clube”, disse um representante.

No entanto, o representante do clube acrescentou que, se o culpado for um torcedor do Feyenoord, essa pessoa seria “banida do estádio do clube para sempre”.

O representante acrescentou que o Feyenoord tem “trabalhado por muitos anos no combate ao antissemitismo” entre sua base de fãs. “Isso varia de webinars e workshops a viagens educacionais a Auschwitz e Birkenau”, disse o representante.

Mas um conhecido torcedor do Feyenoord com ligações tanto com a diretoria do clube quanto com os “ultras” do clube – torcedores radicais, às vezes violentos – insistiu que o mural era uma expressão legítima da raiva dos torcedores contra Berghuis.

“Acho que é um lindo desenho”, disse Gijs van Delft, um fotógrafo, aos meios de comunicação locais. Questionado sobre a estrela judia de estilo nazista usada por Berghuis no desenho, van Delft respondeu que “os cristãos também andam com uma cruz. Eu realmente não entendo o problema. É sátira, você pode fazer qualquer coisa com ela”. E continuou: “Não é que todo mundo pense que os judeus deveriam ser gaseados. Sempre falamos sobre ‘judeus do futebol’. O hooliganismo no futebol nunca acabará. O antissemitismo nunca acabará”.

Fonte: The Algemeiner