Novo surto escolar de Covid e viajantes sem teste

Pelo menos 44 crianças em uma escola de ensino fundamental, na cidade de Binyamina-Giv’at Ada no norte de Israel tiveram teste positivo para coronavírus, anunciaram as autoridades locais no sábado, no segundo surto desse tipo em uma escola israelense esta semana.

“Os dados indicam contágio de repatriados do exterior nos últimos dias e não por causa de um surto local”, escreveu o conselho local da cidade em sua página no Facebook.

Dizia que depois de uma “consulta de emergência” com o Ministério da Educação, a escola não abriria no domingo, último dia de aula antes das férias de verão. O conselho local enfatizou que “o incidente está totalmente sob controle” e disse que haveria uma estação de teste COVID-19 móvel na escola no domingo, com testes disponíveis para todos.

Um funcionário do Ministério da Saúde disse ao site de notícias Walla que a causa do surto ainda é uma questão de especulação, acrescentando que é possível que tenha começado com um estudante que entrou em contato com uma pessoa infectada recém-chegada do exterior.

LEIA TAMBÉM

A televisão israelense informou na terça-feira que a polícia estava investigando se um homem que supostamente violou as regras de quarentena depois de retornar a Israel foi a fonte de um surto em uma escola em Modiin, onde 11 alunos foram infectados.

O canal 12 de notícias disse que o Ministério da Saúde entrou com uma queixa policial contra o suspeito, apesar de não estar totalmente claro que suas ações foram a causa do surto, para mostrar “tolerância zero” para aqueles que violam a quarentena após chegarem do exterior.

Na sexta-feira, o Ministério da Saúde suspendeu temporariamente a exigência de que os viajantes que entram em Israel sejam testados para o coronavírus na chegada, após uma aglomeração no aeroporto quando um gargalo se formou em torno dos passageiros esperando para serem examinados.

Pelo menos 1.000 pessoas entraram sem fazer o teste, de acordo o canal de notícias Kan.

Aqueles que chegam de países considerados de alto risco – Argentina, Brasil, África do Sul, Índia, México e Rússia – não foram autorizados a ignorar a exigência, mesmo se vacinados, de acordo com relatos da mídia israelense.

Em um comunicado divulgado pelo canal 12, o Ministério da Saúde disse que o início do Shabat, quando muitos judeus praticantes se abstêm de usar transporte motorizado, foi levado em consideração na decisão.

“Uma equipe extra foi chamada para abrir mais bancadas de teste. No início da próxima semana, o número de estações de teste e pessoal será aumentado”, disse o ministério.

Não ficou claro por quanto tempo a diretiva temporária permaneceria em vigor, embora o Canal 12 tenha informado que o aeroporto voltou aos testes por volta das 20h.

As viagens de ida e volta para Israel aumentaram nas últimas semanas, quando o país aparentemente emergiu da crise do coronavírus e se reabriu. No dia 10 de junho, mais de 22.500 pessoas passaram pelo aeroporto, o maior número registrado desde antes da pandemia.

No entanto, os passageiros que entram no país continuam sendo uma grande parcela dos casos novos. Mais de um terço dos novos casos registrados entre domingo e terça-feira foram de viajantes do exterior, disse o ministério.

Dados do Ministério da Saúde publicados na sexta-feira mostraram que há apenas 238 pacientes ativos com vírus no país. Desde o início do surto no início do ano passado, 839.769 pessoas foram diagnosticadas com COVID-19 em Israel e 6.427 morreram da doença.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Flash90

One thought on “Novo surto escolar de Covid e viajantes sem teste

Fechado para comentários.