Pavilhão de arte em Tel Aviv será renovado

O pavilhão de Arte Contemporânea Helena Rubinstein, localizado na Praça Habima, será completamente renovado, melhorado e renomeado como edifício Eyal Ofer Art. O Museu de Arte de Tel Aviv e a cidade de Tel Aviv anunciaram que isso só foi possível graças a uma doação de US$ 5 milhões da Fundação Eyal & Marilyn Ofer, uma fundação filantrópica que apoia instituições e iniciativas de educação e arte em todo o mundo, dentre elas, o National Maritime Museum, o Metropolitan Museum of Art, o MoMa e a Giacometti Foundation.

O pavilhão foi construído há 60 anos com o apoio da Fundação Helena Rubinstein. No entanto, desde que a Fundação Helena Rubinstein cessou as operações em 2011, o edifício vem apresentando sinais de desgaste. As renovações visam restaurar o pavilhão para o seu estado anterior, melhorando a sua infra-estrutura de visualização, incluindo iluminação e controle climático nas áreas de exposição e visita, melhorando a experiência de os visitantes.

O pavilhão, que tem 1,470 metros quadrados de espaço, foi projetado 60 anos atrás pelo arquiteto Yaakov Rechter, vencedor do Prêmio Israel. Seu filho, Amnon Rechter, que atualmente dirige a mesma firma de arquitetura, será responsável pela modernização do edifício. Uma cafeteria, bar e loja de museus será adicionado ao edifício para atrair um público maior e mais jovem. O projeto e a renovação tomarão aproximadamente três anos.

Sammy Ofer, o pai de Eyal Ofer cancelou uma doação de NIS 20 milhões para o Museu de Arte de Tel Aviv em 2006. Ofer tinha oferecido a sua doação em troca da construção de uma nova ala no Museu e a mudança de nome do Museu para Museu de Arte Sammy e Aviva Ofer Tel Aviv. Embora a mudança de nome tenha sido aprovada pelo Conselho da cidade de Tel Aviv e pela administração do Museu, provocou uma grande tempestade pública. Em um anúncio publicado em Haaretz na época sob o título “Desculpe-nos por querer doar”, Ofer escreveu que, em vista da caça às bruxas contra eles, decidiu retirar sua doação.