Prefeitos pedem fim da quarentena para crianças

Cento e oitenta prefeitos e chefes de conselhos locais de todo o país se dirigiram ao primeiro-ministro Naftali Bennett e ao ministro da Saúde Nitzan Horowitz exigindo que a obrigação de quarentena para crianças expostas a portadores de coronavírus seja cancelada, informou o Canal 12.

A carta enviada pela Associação de Cidades Autônomas de Israel e Federação de Autoridades Locais em Israel afirma que “é claro para todos que as crianças não estão entre os grupos de risco da cepa Omicron e do coronavírus em geral, é é nosso dever garantir a continuidade dos estudos e rotina dos alunos e funcionários para garantir sua segurança e saúde”.

“Devolver uma sensação de segurança, juntamente com garantir a segurança e a saúde dos alunos e funcionários, é essencial, e será validado ainda mais com a aplicação de um plano de teste ordenado baseado no programa ‘Escudo da Educação’. Para sua implementação, um plano de teste institucional regular precisa ser realizado nas escolas, ou distribuir kits para alunos e funcionários para realização de testes regulares em casa”, acrescentaram os prefeitos.

Segundo eles, “a decisão do governo de encurtar os isolamentos decorre de um processo de tomada de decisão que incluiu muitos componentes, ponderando as chances e os riscos. As consequências das decisões sobre o sistema educacional devem ser consideradas e o trabalho concluído à luz dos dados concretos”.

LEIA TAMBÉM

O ministro das Finanças, Avigdor Liberman, disse que trabalharia contra a continuação da política do passaporte verde. “Não há lógica médica e epidemiológica no passaporte verde, e muitos especialistas concordam”.

“O que isso faz é causar danos diretos à economia, funcionamento diário e, além disso, uma contribuição significativa para o pânico no público. Trabalharei com todas as partes para eliminar o passaporte verde e manter uma rotina de vida normal para todos nós”, escreveu Liberman no Twitter.

Fonte: Israel National News
Foto: Canva