Proibido comercializar peixes do Mediterrâneo

O Ministério da Saúde anunciou ontem (quarta-feira) que é proibido comercializar peixes e animais marinhos do Mediterrâneo até novo aviso. Isso se deve à poluição do alcatrão das praias.

O ministério se antecipou na proibição, embora nenhuma descoberta tenha sido feita indicando o perigo representado pelo consumo de peixe. Amostras de peixes já foram enviadas aos laboratórios do Ministério da Agricultura para que seja analisada a presença de diversos resíduos poluentes, e os resultados são esperados nos próximos dias.

“Estamos enfrentando um desastre econômico além do desastre ambiental”, disse Sami Ali, porta-voz da Associação de Pescadores de Israel. “Ainda não nos recuperamos do desastre do Corona porque não recebemos nenhum apoio do governo como outros setores e, até agora, não recebemos indenização pelo fechamento forçado em 2020. Agora, um novo decreto. Este governo e seus ministérios apenas nos dão sanções e restrições, como a declaração do locus [espécie de garoupa] como espécie protegida pelo Ministério de Proteção Ambiental da semana passada e este anúncio conjunto do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura”.

A deputada Aida Touma-Suleiman (lista conjunta) disse que “ilegalidade ambiental é ilegalidade social. Já está prejudicando nossa saúde e a subsistência da comunidade pesqueira – que já foi atingida por restrições irracionais durante o período Corona. O governo deve indenizar os pescadores e trabalhar para limpar nossas praias e mar”.

LEIA TAMBÉM

O controle dos peixes para consumo humano é feito pelo Ministério da Agricultura e pelo Ministério da Saúde, desde a pesca até o consumo do pescado. Na divisão de competências, o Ministério da Agricultura é responsável pela supervisão da pesca local e o Ministério da Saúde pela supervisão da comercialização do pescado.

O Ministério da Proteção Ambiental publicou esta noite o “semáforo costeiro” do Mediterrâneo, que mapeia a poluição em todo o país. O semáforo está dividido em quatro cores em níveis diferentes. Vermelho significa uma área poluída onde as operações de limpeza ainda não começaram, ou onde as operações parciais começaram para limpar a areia, mas não a costa rochosa, como Rosh Hanikra. Laranja é uma área contaminada em estágios iniciais de limpeza. Em amarelo a situação é tranquila e em verde muito tranquila.

A Associação de Criadores de Peixes de Israel afirma que “os criadores de peixes [em cativeiro] estão se preparando para dobrar o fornecimento de peixes locais em caso de escassez de peixes, depois que o Ministério da Saúde proibiu radicalmente a comercialização de peixes originários do Mediterrâneo. Consuma-os mesmo durante este período”.

Eli Sharir, CEO da Associação, informou que com a aproximação de Pessach, os produtores “estão aumentando significativamente a quantidade de equipamentos e trabalhando para dobrar as quantidades para garantir que cada lar em Israel possa desfrutar, nas próximas semanas e durante o feriado, peixe fresco israelense sem medo”.

Foto: Jorge Novominsky (Flash90)

2 thoughts on “Proibido comercializar peixes do Mediterrâneo

Fechado para comentários.