Rivlin apela a príncipe Charles sobre bebê em estado terminal

O presidente Reuven Rivlin apelou ao príncipe Charles para permitir que Alta Fixler, uma menina judia de dois anos, gravemente doente, seja levada a Israel para tratamento médico depois que o juiz da Suprema Corte do Reino Unido, Alistair MacDonald, decidiu que o tratamento vital pode ser suspenso.

Seus pais, residentes de Manchester, que também são cidadãos israelenses, se opuseram à eutanásia de sua filha porque sua fé judaica o proíbe, e pediram para levá-la para fora do Reino Unido, a um hospital israelense, onde seus desejos seriam atendidos, mas o juiz disse a seus advogados que ele teria que levar “as atuais hostilidades em Israel e Gaza” em consideração ao chegar a uma decisão.

Em outras palavras, esse bebê deveria morrer na Inglaterra porque mandá-lo para Israel colocaria sua vida em risco.

O presidente Rivlin escreveu ao príncipe Charles:

“Escrevo-vos hoje sobre um assunto de grave e urgente importância humanitária. Como você deve saber, uma decisão recente da Suprema Corte no caso de Alta Fixsler, de Manchester, de dois anos, deu aos médicos permissão para interromper o tratamento que a mantém viva.

LEIA TAMBÉM

É o desejo fervoroso de seus pais, que são judeus devotamente religiosos e cidadãos israelenses, que sua filha seja trazida para Israel. Suas crenças religiosas se opõem diretamente à cessação do tratamento médico que poderia estender sua vida e tomaram providências para sua transferência segura e tratamento contínuo em Israel.

Eu sei que representações foram feitas ao Governo de Sua Majestade sobre este assunto, mas sinto que as circunstâncias únicas justificam uma intervenção pessoal de minha parte a você. Seria uma tragédia se os desejos desses pais não pudessem ser atendidos de uma forma que respeitasse a lei e suas crenças religiosas”.

Como Príncipe de Gales, Charles assume funções oficiais em nome da Rainha. Ele fundou o The Prince’s Trust em 1976, patrocina a The Prince’s Charities e é patrono, presidente e membro de mais de 400 outras instituições de caridade e organizações.

No início da semana, o Ministro da Saúde de Israel, Yuli Edelstein, procurou o Ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, para saber se o bebê poderia ser transportado para Israel.

Fonte: Ynet
Fotos: Wikimedia Commons

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *