Segundo terremoto é sentido no norte de Israel

Um terremoto de 3,6 graus na escala Richter foi registrado pelo Serviço Geológico de Israel (GSI) no norte do país, no domingo, menos de 24 horas depois que um terremoto de 3,8 graus foi sentido na área, no sábado. Um outro tremor de magnitude 2,9 também foi registrado pelo GSI no sábado.

O Centro Sismológico Euro-Mediterrâneo (EMSC) registrou o terremoto de sábado com magnitude 4,1 e o terremoto de domingo com magnitude 3,9.

Os epicentros de ambos os terremotos foram localizados um pouco ao sul do Kineret.

Segundo relatos dos moradores, o segundo terremoto foi sentido em Tiberíades, Kiryat Shmona, Beit Shean e Haifa.

Terremotos medidos entre 3 e 3,9 na escala Richter são considerados menores e, embora possam ser sentidos por muitas pessoas, geralmente não causam danos. Um terremoto entre 4 a 4,9 na escala pode ser sentido por todas as pessoas na área e pode causar danos menores.

Depoimentos de moradores locais ao EMSC relataram que sentiram fortes tremores durante o primeiro terremoto no sábado. Um morador de Tiberíades escreveu: “Todo o mamad (quarto reforçado) tremeu, incluindo a geladeira dentro dele”.

O terremoto também foi sentido em partes da Jordânia, conforme observado pelo testemunho prestado ao EMSC.

LEIA TAMBÉM

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o terremoto no sábado foi sentido como um IV na Escala de Intensidade Modificada de Mercalli (MM) em partes do norte de Israel. Um IV é considerado um terremoto leve e é sentido dentro de casa por muitos e ao ar livre por poucos. Pratos, janelas e portas podem se mexer e as paredes podem fazer um som de rachadura. O USGS compara a sensação a um “caminhão pesado atingindo o prédio”.

As autoridades lembraram os moradores dos protocolos de terremoto, que orienta qualquer pessoa que possa estar em perigo a se dirigir para um espaço aberto.

As pessoas incapazes de sair de seu prédio devem entrar em seu quarto seguro à prova de bombas, deixando as portas e janelas abertas, ou ir para a escada e descer. Se nenhuma dessas opções for possível, eles devem se abrigar no canto de uma sala.

Aqueles que estiverem ao ar livre no momento de um terremoto devem ficar longe de prédios, árvores, cabos de energia e quaisquer itens que possam cair.

Qualquer pessoa perto de uma praia deve se afastar pelo menos um quilômetro da água, ou se certificar de que está em um andar alto para o caso de inundação ou tsunami.

Quem estiver dirigindo no momento de um terremoto deve parar na beira da estrada e esperar dentro do veículo até o fim do terremoto, mas deve evitar parar embaixo de uma ponte ou em um cruzamento.

No início deste mês, um terremoto de magnitude 6,6 atingiu a costa de Chipre. Foi sentido nas proximidades de Israel, Líbano e Turquia.

Israel encontra-se ao longo de uma linha de falha ativa: a fenda sírio-africana, um rasgo na crosta terrestre que percorre toda a extensão da fronteira que separa Israel e Jordânia. O último grande terremoto a atingir a região foi em 1927, um tremor de magnitude 6,2 que matou 500 pessoas e feriu 700.

Os sismólogos estimam que esses terremotos ocorrem nessa região aproximadamente a cada 100 anos.

Fontes: The Jerusalem Post e The Times of Israel
Foto: Canva