Aprovada quarentena com supervisão eletrônica

A Knesset aprovou ontem a extensão da supervisão eletrônica de pessoas em isolamento. Trata-se de uma alteração da lei existente, que até agora se aplicava apenas aos repatriados do exterior, mas a partir de agora será possível utilizar os meios de fiscalização para todas as pessoas que devem estar em isolamento.

A decisão permite o uso de “meio eletrônico”. O governo não pretende usar pulseiras de rastreamento, mas estimular o uso de um aplicativo de rastreamento no celular, que já foi usado em ondas anteriores do COVID.

Por lei, crianças com menos de 14 anos não estarão sujeitas à supervisão eletrônica. Além disso, a pessoa que se recusar a colocar os meios de fiscalização ou não puder utilizá-los por motivos técnicos, estará sujeita a fiscalização policial reforçada, que poderá enviar inspetores para as residências ou policiais para fazer cumprir as regras de isolamento.

Além disso, a pessoa em isolamento será solicitada a enviar sua localização por meio do aplicativo, e o estado monitorará seus dados.

LEIA TAMBÉM

Outra opção é enviar um autorretrato (selfie) do isolamento com uma carteira de identidade, e o estado identificará sua localização.

A supervisão eletrônica dos retornados a Israel foi utilizada pela primeira vez em março passado, mas foi abolida algumas semanas depois com o levantamento das restrições em Israel.

Fonte: Haaretz
Foto: Olivier Fitoussi (Flash90)