Autoridades polonesas retiram o letreiro da fábrica de Schindler

A medida acontece no momento em que se comemora o 26º aniversário do início das filmagens do filme multipremiado “A Lista de Schindler”, dirigido por Steven Spielberg. De acordo com a agência de notícias AJN, Mario Sinay, doutor em educação e professor do Holocausto, acusou o atual diretor do Museu de Cracóvia de Negador do Holocausto, pois era responsável pela conservação do prédio onde o lendário filme do diretor Steven Spielberg foi filmado.

Em uma queixa pública transmitida pelas redes sociais Sinay disse: “Aqui, no Museu Schindler, o diretor diz que não havia lista de Schindler, que é tudo um mito, uma fantasia do filme”. Sinay esclareceu que a famosa folha de pagamento que deu origem à história que foi levada para a tela está no Museu do Holocausto Yad Vashem, a instituição oficial de Israel constituída em memória das vítimas do Holocausto.

Ele também comentou que uma foto de Schindler que anteriormente era quatro por quatro foi reduzida para um por um. “As pessoas vieram ver Schindler e ele não está lá”, protestou ele.

A Deutsche Emailwarenfabrik (DEF), também conhecida como Fábrica Oskar Schindler (Fabryka Emalia Oskara Schindlera em polonês) era uma fábrica localizada em Cracóvia, que após ser declarada patrimônio nacional tornou-se um museu do Holocausto. Precisamente, o museu está localizado em Podgórze, o bairro onde os alemães criaram o gueto judeu de Cracóvia.

A lista de Schindler, o filme dirigido por Steven Spielberg e consagrado com vários Oscars, começou a ser filmado em março de 1993 e suas filmagens duraram 75 dias. O filme estrelado por Liam Neeson estreou nos cinemas dos EUA em 15 de dezembro de 1993 e foi relançado no final do ano passado, por ocasião do seu 25º aniversário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *