Benefícios fiscais para olim da área de Hi-Tech

O Ministério de Inovação, Ciência e Tecnologia de Israel anunciou, na terça-feira, novos benefícios fiscais para trabalhadores israelenses de alta tecnologia que vivem no exterior bem como para trabalhadores com direito a imigrar pela Lei de Retorno.

Os residentes de retorno que deixaram Israel há mais de um ano não terão que pagar impostos sobre ganhos de capital sobre a receita no exterior, poderão deduzir despesas associadas ao retorno a Israel e terão sua alíquota de imposto de renda limitada a 30% (e não os 47% regulares) no primeiro ano de retorno, e a 35% no segundo ano. Essas medidas de redução de impostos serão estendidas ainda mais aos estrangeiros que são elegíveis para fazer “aliá” a Israel de acordo com a Lei do Retorno.

A nova política visa resolver a escassez de mão de obra na florescente indústria de tecnologia de Israel. Os benefícios serão válidos por um período de aproximadamente dois anos e darão um “impulso significativo” ao setor de alta tecnologia de Israel, acrescentou o Ministério.

Atualmente, apenas os trabalhadores israelenses de alta tecnologia que retornaram e trabalharam no exterior por uma década ou mais têm o direito de evitar impostos sobre ganhos de capital e rendimentos de investimentos no exterior. Até agora, as taxas de impostos dos israelenses que retornavam estavam limitadas aos típicos 47% e os trabalhadores não tinham permissão para deduzir as despesas de mudança.

“Este é mais um passo de uma ampla gama de programas que estou promovendo em resposta ao problema agudo de força de trabalho que a indústria israelense de alta tecnologia está enfrentando, a maior de todos os tempos”, disse a ministra da Inovação, Orit Farkash-HaCohen.

A taxa de desemprego de Israel fica em torno de 8%, de acordo com o Bureau Central de Estatísticas, e as empresas de tecnologia estão entre os maiores empregadores de Israel, empregando 334.000 pessoas segundo relatório de 2020 da Autoridade de Inovação de Israel e Start-Up Nation Central. Além de o setor de alta tecnologia de Israel já dominar o emprego em todo o país, as vagas de emprego tiveram um crescimento maciço em toda o setor, com as vagas aumentando 300% somente no ano de 2021.

LEIA TAMBÉM

A enorme demanda por empregos acompanha um recorde de US$ 15 bilhões de investimentos recebidos no setor de alta tecnologia de Israel de janeiro a agosto de 2021, ultrapassando o recorde de 2020 de US$ 10,6 bilhões de investimento. Apesar do aumento do investimento, a participação da força de trabalho diminuiu, atingindo um mínimo de 60,5% em janeiro de 2021 em meio à pandemia .

“Durante o ano passado, o setor de alta tecnologia quebrou recordes em levantamento de capital, aumentando significativamente a necessidade de recrutar trabalhadores qualificados, intensificando assim o problema de uma escassez crônica de trabalhadores na indústria”, observou Dror Bin, CEO da Israel Innovation Autoridade.

Israel deu incentivos fiscais no passado, principalmente para aqueles que faziam aliá. A Lei do Retorno não só permite aos judeus o direito de se mudarem para Israel e obterem a cidadania israelense, mas também oferece vários incentivos fiscais para encorajar os judeus da diáspora a migrar para Israel. Em 2017, o Ministério da Aliá e Integração de Israel introduziu isenções fiscais sobre a renda e ativos estrangeiros, créditos fiscais para novos “olim” – imigrantes que entram por meio da Lei de Retorno – e apoio e assistência para empresários.

Israel oferece benefícios fiscais adicionais para empresas de hi-tech, investidores e credores, e anunciou uma série de incentivos fiscais em outubro passado para empresas do campo de tecnologia.

“Vemos a importância fundamental na promoção da indústria de alta tecnologia, que é a locomotiva que lidera a economia e um fator significativo em seu crescimento”, disse o ministro das Finanças, Avigdor Lieberman, que co-patrocinou a iniciativa com Farkash-HaCohen.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Canva