Palestinos poderão trabalhar em Israel em high tech

O governo aprovou neste domingo uma cota de trabalhadores palestinos para trabalhar em ocupações de alta tecnologia (high tech) dentro de Israel.

Até o momento, o estado tinha aprovado licenças principalmente para trabalhos nas setores de construção, agricultura, indústria e serviços. Agora, com a aprovação do movimento liderado pelo Ministério de Cooperação Regional e o Ministério da Economia e Indústria, em cooperação com os Ministérios da Defesa, Finanças e Ciência, o setor israelense de alta tecnologia – que sofre de grave escassez de trabalhadores qualificados em últimos anos – poderá receber um reforço significativo.

A proposta foi dividida em três fases. Até 200 trabalhadores em 2022, até mais 200 trabalhadores em 2023 e até 100 trabalhadores a mais em 2024. No total, até 500 autorizações de trabalho serão emitidas na indústria de alta tecnologia, sem comprometer a cota geral de autorizações de trabalho para palestinos em Israel.

De acordo com o plano, será estabelecido um limite de acordo com o qual o salário de um trabalhador palestino na indústria de alta tecnologia não será inferior a 150% do salário médio em Israel, a fim de permitir que empresas israelenses de alta tecnologia empreguem trabalhadores palestinos com emprego direto avançado e “perto de casa”.

LEIA TAMBÉM

Essa é uma alternativa à terceirização em outros países, principalmente no Leste Europeu. Essa medida também evitará danos aos trabalhadores israelenses empregados no setor. Ao mesmo tempo, o governo aprovou uma proposta de aumento da cota nos setores de serviços e indústria para até 8.550 trabalhadores palestinos.

O Ministro da Cooperação Regional, Issawi Frej, disse: “Israelenses e palestinos vivem em uma área geográfica comum e devemos fortalecer a cooperação e a interação entre os cidadãos e as economias”.

“A absorção de trabalhadores de alta tecnologia expressa esse desejo de se conectar em todos os campos. Esperamos que a mudança aumente o retorno do ensino superior na Autoridade Palestina e fortaleça a indústria de alta tecnologia nela, como um motor de crescimento significativo para o fortalecimento da economia palestina. Esta é uma continuação direta da política que estamos liderando nos últimos meses, junto com o aumento das cotas em outras áreas, e o fortalecimento da relação econômico-comercial com a Autoridade Palestina”.

Fonte: Kipa
Foto: PxHere