IsraelNotícias

Bibi é contra plano de Ben-Gvir de realizar orações em Tel Aviv

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu declarou ser contra a intenção do ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben-Gvir, de realizar outro serviço de oração na quinta-feira na Praça Dizengoff, em Tel Aviv, no mesmo local onde manifestantes de esquerda interromperam violentamente um serviço de oração de Yom Kipur.

“A oração não é uma provocação. Mas agora, depois do grave incidente em Tel Aviv, o mais importante é agir para acalmar as tensões. Portanto, espera-se que todos os líderes públicos se comportem de forma responsável e evitem qualquer coisa que não contribua para a calma”, disse Netanyahu.

Mais cedo, Ben-Gvir escreveu, “eu digo aos anarquistas que tentaram expulsar os fiéis no Yom Kipur: eu e os membros do Otzma Yehudit vamos nesta quinta-feira ao mesmo lugar, para fazer a oração da noite, veremos se vocês tentarão nos expulsar também. Apelo a todos, seculares e religiosos, tradicionais, Ashkenazi e Sefarditas, para virem, a oração é para todos, este é o estado judeu!”

Simcha Rothman, deputado do partido do Sionismo Religioso, também criticou o plano de Ben-Gvir.

“Itamar, suas intenções são boas, mas suas ações não são [uma citação da clássica obra filosófica judaica ‘The Kuzari’]. Não há dúvida de que os atos de uma pequena e violenta minoria que atacou os fiéis em Yom Kipur são de partir o coração para todos nós, mas a resposta à provocação da extrema e barulhenta minoria progressista que não quer um Estado judaico e democrático aqui não é encenar uma contraprovocação que apenas irá inflamar ainda mais a situação, aumentar o ódio e reunir apoio em torno desses extremistas”, escreveu Rothman no X.

“As trevas não podem ser afugentadas com paus, mas acrescentando luz. A ação consistente de muitos, tradicionais, religiosos e seculares, que fortaleceram o seu judaísmo como resposta à extrema violência progressiva e ao silêncio, é a resposta correta. Israel será judeu e democrático porque é isso que a maioria absoluta da população quer e exige”, acrescentou.

LEIA TAMBÉM

O ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben-Gvir, e a organização de protesto Força Kaplan anunciaram que realizarão orações noturnas na Praça Dizengoff na quinta-feira, após os confrontos violentos que eclodiram no Yom Kipur, depois que fiéis violaram as decisões da prefeitura e do Supremo que proíbem orações segregadas por gênero em espaços públicos. Os fiéis tentaram estabelecer à força uma divisão para separar homens e mulheres.

Ben-Gvir anunciou a oração, que está prevista para quinta-feira, às 17 horas. Após o anúncio de Ben-Gvir, a Força Kaplan, da oposição, anunciou o seu próprio serviço de oração “pela democracia e unidade de Israel”, previsto para ter lugar uma hora e meia depois do de Ben-Gvir.

Fontes: Revista Bras.il a partir de Israel National News e The Jerusalem Post
Fotos: Wikimedia Commons

One thought on “Bibi é contra plano de Ben-Gvir de realizar orações em Tel Aviv

  • Ben Gvir devia ser primeiro ministro no lugar de Bibi, pois Bibi fica só no blá blá blá no papo furado infelizmente!!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo