Biden visita Yad Vashem e dá entrevista à TV

O presidente dos EUA, Joe Biden visitou o Yad Vashem, o Museu Memorial do Holocausto de Israel, em Jerusalém, onde participou de uma cerimônia de colocação de uma coroas de flores.

Biden se encontrou com dois sobreviventes do Holocausto e escreveu no livro de visitas do Yad Vashem: “É uma grande honra estar de volta, de volta ao meu lar emocional. Nós nunca, nunca, esquecemos porque o ódio nunca é derrotado. Só se esconde. Devemos ensinar a cada geração que isso pode acontecer novamente, a menos que nos lembremos. É isso que ensino aos meus filhos e netos. Nunca se esqueça”.

Na cerimônia de chegada ao aeroporto, Biden relembrou suas últimas nove visitas a Israel e se declarou um “sionista”.

Em entrevista ao Canal 12 de Israel após a visita, Biden, defendeu sua tentativa de retornar ao acordo nuclear com o Irã, descrevendo o retorno como o único caminho a seguir para impedir que o Irã adquira uma arma nuclear.

“A única coisa pior do que o Irã que existe agora é um Irã com armas nucleares e se pudermos voltar ao acordo, podemos mantê-los amarrados”, disse Biden, que está em Israel na primeira etapa de uma viagem ao Oriente Médio, que também passará pela Arábia Saudita.

“Acho que foi um erro gigantesco o último presidente sair do acordo. Eles estão mais perto de uma arma nuclear agora do que antes. Não tem nada a ver com o fato de a Força Quds parar ou não ou se eles continuarão envolvidos em atividades. Podemos agir contra eles e ainda ter um acordo em que eles reduzam seu programa nuclear”.

LEIA TAMBÉM

“Ainda acho que faz sentido. Colocamos na mesa, fizemos o acordo, oferecemos e agora cabe ao Irã”, explicou o presidente.

Ele acrescentou que ainda estava comprometido em manter a Guarda Revolucionária Iraniana na lista de grupos terroristas, mesmo que isso significasse que um acordo não seria alcançado.

Biden enfatizou que não permitiria que o Irã se tornasse nuclear. “Não vou especular sobre isso. Mas o Irã não pode obter uma arma nuclear”. Ele disse que o uso da força militar ainda está na mesa, mas como “o último recurso. ”

Falando sobre sua viagem histórica à Arábia Saudita, que visitará depois de Israel, Biden disse que o encontro com os sauditas não será sobre os preços do petróleo ou o Irã, mas sobre “estabilidade no Oriente Médio”.

“Em primeiro lugar, é do interesse dos Estados Unidos ter mais estabilidade no Oriente Médio. É do maior interesse de Israel, e acho que dos Estados Unidos e da região, que Israel seja mais integrado na região e aceito como igual”, disse Biden.

“E por todas as razões, faz sentido para mim ir ao GCC (Conselho de Cooperação do Golfo). Há aqueles que pensaram que com o último governo nós nos afastamos do Oriente Médio, que iríamos criar um vácuo que a China e ou a Rússia preencheriam, e não podemos deixar isso acontecer. E em segundo lugar, quanto mais Israel for integrado na região como igual e aceito, mais provável será que haja um meio pelo qual eles possam eventualmente chegar a um acordo com os palestinos no futuro”.

Sobre a possibilidade de normalização entre Israel e Arábia Saudita, Biden disse: “Isso vai levar muito tempo. Mas aumentar o relacionamento em termos de aceitação da presença um do outro, trabalhar juntos em certas coisas, tudo faz sentido para mim”.

Quando perguntado sobre os membros democratas progressistas anti-Israel do Congresso que pedem o fim da ajuda americana a Israel, Biden lembrou que quando era vice-presidente, o governo Obama aprovou o Iron Dome.

“Há poucos democratas do Congresso anti-Israel. Eu acho que eles estão errados.  Israel é uma democracia. Israel é nosso aliado. Israel é um amigo. Nós providenciamos para minha administração 4 bilhões de dólares, mais outro bilhão para o Iron Dome. E estamos trabalhando em um projeto de laser para poder substituir o Iron Dome. É do nosso interesse esmagadoramente que Israel seja estável”.

“Não, não há possibilidade de o Partido Democrata ou mesmo uma parcela significativa do Partido Republicano se afastar de Israel”, disse Biden.

Fonte: Israel National News e @Enlace Judío
Foto: Captura de tela (YouTube IsraelPM)

One thought on “Biden visita Yad Vashem e dá entrevista à TV

Fechado para comentários.