Caçada a fugitivos continua e tensões aumentam

As Forças de Defesa de Israel (FDI) vêm conduzindo uma grande caçada aos seis fugitivos, considerados altamente perigosos, que escaparam da prisão de alta segurança de Gilboa, no que é considerada uma das fugas mais graves da história do país.

As FDI disseram na quarta-feira que estão aumentando os esforços de busca, com dois batalhões, seis companhias, duas equipes de reconhecimento, vários esquadrões de forças especiais e equipes de vigilância aérea.

O exército também anunciou que prorrogaria o fechamento as passagens na região da Samaria e Judeia na noite de quarta-feira, em meio a temores de escalada de violência na área. Israel implantou drones, postos de controle rodoviários e uma missão do exército em Jenin, a cidade natal de muitos dos prisioneiros fugitivos.

O Clube dos Prisioneiros Palestinos disse que dois irmãos de Mahmud Ardah, descrito na mídia local como o mentor da fuga, foram presos. O exército também prendeu quatro outras pessoas: um colega de família, Dr. Nidal Ardah, junto com dois irmãos de um segundo fugitivo e o pai de Munadel Infeiat, outro fugitivo.

Palestinos realizaram violentas manifestações na Judeia e Samaria e em Jerusalém, na noite de quarta-feira, em solidariedade aos prisioneiros fugitivos. Cinco dos fugitivos são membros do grupo terrorista Jihad Islâmica; o sexto é um conhecido chefe terrorista da Fatah.

Cerca de 400 palestinos confrontaram as tropas das FDI em oito pontos de conflito, queimando pneus e jogando pedras. Manifestantes, no distrito de Ramallah, usaram fogo contra soldados israelenses, mas não os acertaram.

LEIA TAMBÉM

Na noite de quarta-feira, o primeiro-ministro Naftali Bennett disse que Israel estava “preparado para todas as eventualidades”, após uma reunião com o ministro da defesa, ministro da segurança pública, chefe do Estado Maior das FDI, chefe do Shin Bet, comissário da polícia de Israel, comissário do serviço penitenciário de Israel, conselheiro de segurança nacional e outros oficiais de defesa importantes.

O fechamento da região da Samaria e Judeia, um procedimento de rotina durante os feriados israelenses e judaicos, foi feito antes do feriado de dois dias do Rosh Hashaná na segunda-feira. Deveria terminar na quarta-feira à meia-noite, mas continuará até sábado à noite, disseram os militares. A extensão do fechamento visa ajudar na caça ao s fugitivos e contribuir para os esforços militares para conter as tensões a região.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Wisam Hashlamoun (Flash90)

One thought on “Caçada a fugitivos continua e tensões aumentam

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *