Taxa de reprodução de COVID cai para menos de 1

A taxa de reprodução ou “R” caiu para 0,95, revelou o prof. Eran Segal, biólogo computacional do Instituto de Ciências Weizmann, nesta quarta-feira.

O R é o número de pessoas infectadas por cada doente. No início da semana, o R situava-se em 1,05, o que já representava um decréscimo em relação à semana anterior.

O Prof. Segal, que assessora o governo, revelou a informação em um post no Twitter. Ele acrescentou que “a queda não se deve ao menor número de exames”. O número de testes nos últimos dois dias é semelhante ao de uma semana atrás.

“Há uma diminuição tanto na porcentagem de testes positivos quanto no número de novos pacientes graves”, disse ele.

Na noite de domingo, última vez que o Ministério da Saúde atualizou o número de casos graves, havia 677, incluindo 157 intubados. Na tarde de segunda-feira, o ministério divulgou que havia apenas 5.810 novos casos diagnosticados no dia anterior entre mais de 110.000 pessoas que foram examinadas, uma taxa de positividade de 5,31%.

Esforços têm sido feitos para aumentar a vacinação, incluindo uma terceira dose, que comprovadamente reduz a disseminação da infecção.

LEIA TAMBÉM

Cerca de seis milhões de israelenses receberam a primeira dose, 5,5 milhões a segunda dose e quase 2,7 milhões a terceira dose da vacina Pfizer.

Relatórios recentes mostraram que aqueles que não foram vacinados têm 25 vezes mais probabilidade de serem infectados com o vírus do que aqueles que receberam um segundo reforço. A terceira dose, de acordo com relatórios, é 96% eficaz na prevenção da infecção pela variante Delta, em comparação com os 42% das duas doses.

Pouco antes do início de Rosh Hashsaná, o Ministério da Saúde atualizou a lista de países “vermelhos”, “laranja” e “amarelos”, passando a Hungria e Cingapura de amarelo para laranja. Isso significa que, a menos que as pessoas se qualifiquem como “totalmente vacinadas”, de acordo com a nova definição do ministério, elas serão obrigadas a ficar isoladas por até 14 dias se retornarem a Israel destes países.

A lista de países vermelhos permaneceu a mesma e inclui Bulgária, Brasil, México e Turquia.

A lista de países amarelos inclui Áustria, Bahrein, China, Chipre, República Tcheca, Gabão, Hong Kong, Nova Zelândia, Polônia, Eslováquia, Taiwan e Uruguai.

Qualquer lugar que não esteja na lista vermelha ou amarela é laranja.

Na semana passada, o Ministério da Saúde tomou a decisão de isentar israelenses vacinados ou recuperados do isolamento após retornarem de países “laranja”, com base em uma nova definição de “totalmente vacinados” e recuperados, ou seja, indivíduos que se encontram em uma das seguintes situações:

– receberam uma terceira dose da vacina Pfizer em Israel

– receberam duas doses nos últimos seis meses

– se recuperaram e recebeu uma dose da vacina

– se recuperaram nos últimos seis meses e/ou demonstrou possuir anticorpos por meio de um teste sorológico.

As pessoas qualificadas devem ser rastreadas para o vírus no desembarque e isoladas até receberem um resultado negativo ou por 24 horas, o que ocorrer primeiro.

A isenção para os vacinados só se aplica a quem foi inoculado em Israel com a vacina Pfizer. Qualquer pessoa não vacinada deve isolar-se por até 14 dias, independentemente de onde esteja viajando.

One thought on “Taxa de reprodução de COVID cai para menos de 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *