Carnaval antissemita na lista negra da Unesco

O desfile de carnaval anual na Bélgica, que este ano contou com carros alegóricos de judeus sorridentes segurando dinheiro com ratos nos ombros, está formalmente enfrentando a remoção de suas credenciais da UNESCO.

Está prevista uma votação para o próximo mês sobre a remoção do carnaval de Aalst da Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, de acordo com a agenda publicada nesta semana em uma reunião na Colômbia.

O comitê “decide remover o carnaval de Aalst”, diz o projeto de resolução. É a primeira vez que um local ou evento é apresentado para exclusão da lista.

O projeto de resolução cita a edição de 2019, que provocou indignação e acusações de antissemitismo, e vários outros casos, incluindo um carro alegórico em 2009 que mostrava homens vestidos como judeus ortodoxos usando narizes falsos e símbolos palestinos.

A edição de 2013 teve foliões vestidos como nazistas segurando vasilhas rotuladas como “Zyklon B” caminhando ao longo de foliões enjaulados vestidos como prisioneiros nazistas. O Zyklon B era um veneno que os nazistas costumavam matar judeus em câmaras de gás.

“Esses atos, intencionais ou não, contradizem os requisitos de respeito mútuo entre comunidades, grupos e indivíduos”, afirma o documento, acrescentando que isso viola o estatuto da organização.

Os organizadores do carnaval e o prefeito Aalst rejeitaram todas as críticas ao carro alegórico de 2019 e anteriores, citando liberdade de expressão e paródia.

Representantes de 66 países, incluindo Bélgica, Rússia, França e Autoridade Palestina, votarão na reunião da Colômbia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *