Casal vai construir Museu do Holocausto em Boston

Um casal de Boston comprou um prédio na cidade para criar um museu do Holocausto.

O Memorial do Holocausto da Nova Inglaterra fica em Boston, mas este seria o primeiro museu fechado dedicado ao Holocausto na cidade.

Jody Kipnis disse que ela e Todd Ruderman compraram o prédio de cerca de 1.400 metros quadrados na Tremont Street por US$ 11,5 milhões. Eles são cofundadores da Holocaust Legacy Foundation, que busca preservar e perpetuar a memória e as lições do Holocausto para as gerações futuras.

Kipnis disse que ainda é muito cedo para dizer quando o museu pode abrir, mas eles esperam agir rapidamente por causa do aumento do antissemitismo e da xenofobia em todo o mundo.

“Veja o que está acontecendo na Europa de novo”, disse ela, referindo-se à invasão da Ucrânia pela Rússia. “E vimos um aumento nos crimes de ódio e pichações com suástica nas escolas de Massachusetts. Estamos procurando construir um museu que seja uma experiência interativa e preventiva”.

Kipnis e Ruderman foram ao local do campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau, em 2018, com um bom amigo e sobrevivente do Holocausto, que lhes pediu que contassem sua história. Depois, disse Kipnis, eles lançaram uma bolsa para que adolescentes judeus pudessem viajar para a Alemanha e a Polônia e aprender sobre o Holocausto, e então retornar para educar outras pessoas e servir como um recurso quando suas comunidades precisassem lidar com o antissemitismo.

LEIA TAMBÉM

As viagens foram canceladas durante a pandemia e os planos para este verão estão parados devido à guerra. Kipnis disse que eles queriam causar um impacto maior.

Michael Berenbaum, professor, autor e cineasta que atuou como diretor do projeto para a criação do Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos, será responsável pelo desenvolvimento das exposições do museu de Boston. Ele disse na quinta-feira que está trabalhando para integrar a história do Holocausto com a localidade de Boston e as pessoas e a história de Boston, incluindo a Freedom Trail e o Memorial do Holocausto.

Berenbaum disse que assinou o projeto em parte porque as imagens do Holocausto são amplamente difundidas nos dias de hoje, mas a educação e o conhecimento sobre o Holocausto não. O Holocausto, a Segunda Guerra Mundial e o nazismo foram ferramentas importantes para Vladimir Putin em sua tentativa de legitimar os movimentos da Rússia na Ucrânia, mas os historiadores veem seu uso como desinformação e uma manobra cínica para promover os objetivos do líder russo.

Fonte: NBC Boston