Memorial do Holocausto é inaugurado na Holanda

O rei Willem-Alexander inaugurou oficialmente um novo memorial no coração do histórico do Bairro Judeu de Amsterdã, em homenagem a mais de 102.000 vítimas holandesas do Holocausto.

O primeiro ministro holandês jurou que lembrará os cidadãos de hoje de estarem vigilantes contra o antissemitismo.

Projetado pelo arquiteto polonês-judeu Daniel Libeskind, o memorial é composto de paredes moldadas para formar quatro letras hebraicas que soletram uma palavra que pode ser traduzida como “Em memória de”.

As paredes são construídas com tijolos, cada um dos quais está inscrito com o nome, data de nascimento e idade em que morreu um dos mais de 102.000 judeus e ciganos, que foram assassinados em campos de concentração nazistas durante a Segunda Guerra Mundial ou que morreram a caminho dos campos.

Jacques Grishaver, presidente do Comitê Holandês de Auschwitz, e o rei inauguraram oficialmente o monumento com a presença de autoridades e sobreviventes do Holocausto. Depois de passar pelos portões, cada um pegou uma pedra branca e a colocou em frente a uma parede comemorativa, uma tradição judaica ao visitar túmulos.

LEIA TAMBÉM

O primeiro-ministro interino da Holanda, Mark Rutte, disse que o monumento também deve forçar as pessoas a confrontar a questão de se a Holanda fez o suficiente para proteger os judeus durante a guerra e o que ele chama de “recepção fria para o pequeno grupo que voltou do inferno depois da guerra”.

Ele chama a época de “uma página negra na história do nosso país” e diz que o monumento também traz uma importante mensagem contemporânea “em nosso tempo em que o antissemitismo nunca está longe. O monumento diz ‘não’, ele grita ‘fique vigilante’”.

Fontes: The Times of Israel e Netherland News Live