Cesta de medicamentos e tratamentos para 2023

O Comitê da Cesta de Medicamentos apresentou as novas tecnologias e medicamentos que serão agregados à cesta em 2023, com um custo adicional de NIS 650 milhões.

Cerca de 55% dos acréscimos ao orçamento deste ano, 350 milhões de shekels, foram destinados a novos tratamentos oncológicos e à expansão do uso de tratamentos avançados de câncer aprovados nos últimos anos.

O comitê também aprovou uma série de tratamentos, exames, vacinas, procedimentos e serviços médicos, incluindo tratamentos para pacientes cardíacos, diabetes, doenças neurológicas, doenças do sangue, doenças renais e alergias.

Neste ano, serão acrescentados 122 medicamentos à cesta básica que serão relevantes para cerca de 350 mil israelenses.

Segundo funcionários do Ministério da Saúde, o tamanho do suplemento permite que grandes somas sejam destinadas a questões como vacinas, óculos e tratamento de pacientes com câncer de sangue.

Mais da metade do orçamento da cesta de medicamentos, cerca de 53,5%, foi dedicada a medicamentos para pacientes com câncer e mieloma.

O medicamento “Drazalex” também está entre as principais novidades da cesta de medicamentos. A droga prolonga a vida de pacientes com mieloma grave de três anos para 10 ou até 15 anos.

O comitê determinou que para tratamentos significativos para diabetes tipo 2 serão administradas as pílulas “Forsiga” e “Jardiance”. Além disso, será introduzido o sistema híbrido automático para injeção de insulina para diabetes tipo 1 – até 18 anos e a tecnologia “Flash” para monitoramento de açúcar no sangue.

LEIA TAMBÉM

Também serão oferecidos tratamentos de reabilitação pulmonar para pacientes com doenças pulmonares intersticiais (caracterizadas por cicatrizes pulmonares).

Além disso, foi aprovado financiamento para compra de óculos para crianças de até 7 anos. Estima-se que sejam cerca de 55 mil crianças a um custo total de NIS 40 milhões.

No que diz repeito à vacinação, foi introduzida a “Prevenvar” para tratar 13 tipos da bactéria “Streptococcus pneumoniae” em adultos com mais de 65 anos, uma vacina para prevenir o herpes zoster e uma vacina contra o HPV (papiloma) para homens e mulheres 18 a 26 anos de idade. Além disso, tratamentos clínicos de comunicação para gagueira recorrente foram adicionados à cesta.

No campo da saúde da mulher, a comissão decidiu fechar um “buraco” no financiamento da interrupção da gravidez, no qual mulheres entre 33 e 39 anos deveriam pagar pelos abortos. Foi também decidido que a cesta de saúde vai financiar a remoção em ambulância para vítimas de agressão sexual.

Também entrarão na cesta tratamentos de fertilização in vitro para casais ou homens solteiros.

Os homens que desejam ter um filho por meio de um processo de barriga de aluguel receberão recursos para o procedimento médico de fertilização in vitro para a barriga de aluguel, de acordo com a decisão do Superior Tribunal de Justiça que obriga o Estado a dar igualdade no processo de barriga de aluguel. Os planos de saúde concordaram em fornecer este serviço do próprio bolso e não receberão financiamento para isso do orçamento da cesta de saúde.

Também foram introduzidos tratamentos dentários de preservação para aqueles que sofrem de falta de seis ou mais dentes.

O que ainda fica de fora é a vacina “Bexero” contra a bactéria meningococo e o medicamento “Atomic” (atomoxetina) para o tratamento do TDAH em adultos.

Fontes: Davar e Canal 13
Foto: Canva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *