Chocolate com ervas para pré-diabetes

Ehud Peretz, atualmente CEO da startup Netanya Solveat, dirigia uma empresa de biotecnologia à base de plantas na China quando foi diagnosticado com pré-diabetes. Por esta razão, um médico chinês aconselhou-o a tomar fitoterápicos.

Embora esse método controlasse a condição de Peretz, ele achou as ervas amargas e seu preparo demorado. Assim, Peretz descobriu que o mercado de alimentos funcionais vale 250 milhões de dólares e cresce 8% ao ano.

Quando voltou a Israel, o executivo levou sua visão para a Trendlines, grupo de tecnologia médica e aceleradora de alimentos do norte de Israel. A empresa e a Autoridade de Inovação investiram quase um milhão de dólares na iniciativa.

Atualmente, o primeiro produto da Solveat combina ervas medicinais em quadradinhos de chocolate da boutique de chocolate Ornat. “O sabor das ervas é horrível. Usamos vários métodos para mascarar o amargor e a acidez. Não é fácil. Estou lidando com isso há quatro anos!”, revelou Peretz.

Os primeiros voluntários a experimentar chocolates com infusão de ervas tiveram seus níveis de açúcar no sangue reduzidos em até 24%. Além disso, a Solveat trabalha na integração de ervas em biscoitos e pães doces e salgados e investiga outras condições médicas de alto impacto, como pressão alta.

LEIA TAMBÉM

Por sua vez, Peretz afirmou que usar chocolate é algo irônico para ele: “É só o que me disseram para não comer! Mas se o chocolate for feito sem açúcar e com a quantidade certa de cacau, é um alimento saudável. Queremos oferecer aos consumidores uma dieta para que possam levar uma vida normal e desfrutar da comida. Todos nós sabemos que se a comida não for deliciosa, você não vai comer”.

O objetivo da Solveat é lançar comercialmente seu produto até o final de 2022. E Israel atuará como um mercado piloto.

Fonte: Aurora
Foto: Tal Naveh/Solveat (cortesia)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.