Cotonete na garganta e/ou no nariz?

As pessoas que se autotestam para o COVID-19 devem esfregar a garganta e o nariz ao usar kits rápidos de antígeno para aumentar as chances de detectar a variante Omicron, disse uma importante autoridade de saúde israelense na segunda-feira.

A recomendação vai contra o conselho da Food and Drug Administration dos EUA, que disse que as instruções dos fabricantes ainda devem ser seguidas e que qualquer uso incorreto de swab na garganta pode representar um risco à segurança.

Em entrevista à Rádio do Exército de Israel, a Dra. Sharon Alroy-Preis, chefe dos serviços de saúde pública do Ministério da Saúde, disse que os testes de antígeno, amplamente usados ​​no país, são menos sensíveis que os testes de PCR na detecção de doenças. “Para aumentar sua sensibilidade, a partir de agora recomendamos esfregar a garganta e o nariz. Não é o que o fabricante instrui, mas estamos instruindo isso”, disse ela

O Ministério da Saúde não respondeu imediatamente quando perguntado se verificou se o uso na garganta dos swabs dos kits de teste nasais funciona e se procurou aconselhamento dos fabricantes.

Com a Omicron levando o número de casos diários de infecção para níveis recordes, os centros de testes de Israel estão esperando que as autoridades de saúde priorizem os grupos de risco para testes de PCR e confiar em pessoas mais jovens e vacinadas para testar em casa se expostas a um portador.

Na semana passada, o Ministério da Saúde revisou suas políticas de testes devido ao aumento de pessoas expostas ao vírus. O ministério começou a permitir que pessoas não vacinadas expostas a uma pessoa infectada fossem submetidas a um teste rápido de antígeno, em vez de um teste de PCR, para serem liberadas da quarentena.

LEIA TAMBÉM

Alroy-Preis disse que, quando expostas a um portador, as pessoas devem fazer mais de um teste ou pelo menos esperar três dias desde a exposição antes de testar com kits rápidos.

Mais tarde, o Ministério da Saúde emitiu um esclarecimento, dizendo que “não há instruções para se auto-isolar durante esses três dias”, mas sim para “assumir a responsabilidade pessoal usando máscaras, mantendo o distanciamento social, evitando multidões”.

O ministério acrescentou que aqueles que “mostram quaisquer sintomas devem ser testados imediatamente”.

Alguns especialistas em doenças infecciosas têm defendido o swab (cotonete) na garganta com testes de antígeno porque as pessoas já podem transmitir o Omicron a outras quando ele infecta a garganta e saliva, mas antes que o vírus chegue ao nariz.

Um estudo divulgado no medRxiv antes da revisão por pares analisou 29 trabalhadores infectados por Omicron em profissões de alto risco que fizeram testes de PCR e antígeno simultaneamente em vários dias.

Os testes de PCR da saliva detectaram o vírus em média três dias antes de amostras rápidas dos swabs de nariz se tornarem positivas.

Mas a FDA twittou, na sexta-feira: “quando se trata de testes rápidos de antígeno COVID-19 em casa, esses cotonetes são para o nariz e não para a garganta”. Cotonetes de garganta, disse, “se usados ​​incorretamente, podem causar danos ao paciente”.

Fonte: Haaretz
Foto: Canva

One thought on “Cotonete na garganta e/ou no nariz?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *