Dispositivos automáticos para luvas e aventais esterilizados

Duas empresas israelenses desenvolveram soluções inovadoras para equipar o setor de saúde e outras indústrias com luvas e uniformes de forma mais higiênica, controlada e conveniente.

Mesmo antes do COVID-19 luvas e uniformes limpos eram essenciais para profissionais de saúde, serviços de alimentação e muitos ambientes industriais para manter os locais de trabalho limpos e livres de germes. A pandemia do coronavírus apenas intensificou a necessidade.

Segundo Orna Goldberg, CEO da IGIN, o dispositivo inteligente da empresa, uma subsidiária do Grupo AIDOR com sede em Tel Aviv, armazena 500 luvas em cartuchos especiais. Quando um trabalhador insere a mão na abertura da máquina, uma luva infla e a mão desliza para dentro. O ajuste automático leva menos de cinco segundos.

O aparelho também resolve outro problema importante: cerca de metade das luvas descartáveis ​​usadas no mundo todo são jogadas fora antes mesmo do uso. Um dos motivos é que as luvas descartáveis ​​são difíceis de calçar, especialmente com as mãos molhadas, e muitas vezes rasgam. Às vezes, os profissionais de saúde removem acidentalmente várias luvas da caixa e precisam descartar os extras.

LEIA TAMBÉM

“Os hospitais estão tendo dificuldade em otimizar o estoque e decidir quando e quantas luvas pedir. O dispositivo IGIN também cuida disso. Nosso sistema é o primeiro do mundo que permite saber exatamente quantas luvas faltam para saber quando pedir mais, o que se traduz em economia significativa”, disse Goldberg.

A máquina também inclui um dispensador de desinfetante para as mãos e um recipiente para descarte de luvas, e os medidores mostram os níveis de todos os itens consumíveis. As unidades IGIN também são adequadas para “salas limpas” em fábricas de produtos farmacêuticos ou alimentícios e em aeroportos ou estações de trem.

“Os uniformes da equipe médica se tornaram um risco potencial à saúde como resultado da pandemia COVID-19, e isso gerou grande interesse em nossa solução por parte de instituições médicas em todo o mundo, em mercados novos e existentes”, disse Yariv Matzliach, CEO da Polytex Technologies.

Centros médicos em 20 países na América do Norte, Europa e Ásia já instalaram um total de 3.000 máquinas Polytex para entregar uniformes limpos e coletar os usados ​​em um sistema “mãos livres” totalmente automatizado.

As unidades seladas são abertas apenas por profissionais de lavanderia para coleta e reabastecimento, e um software integrado e um sistema de gerenciamento centralizado baseado em nuvem monitoram o giro e o estoque.

Embora o setor de saúde seja o maior mercado para a Polytex, outros mercados-alvo são os hotéis, academias de ginástica e esportes e instalações industriais onde roupas de trabalho higiênicas são essenciais para seu funcionamento.

Fonte: ISRAEL21c

Foto: IGIN/Geomatrix (Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *