Documentos de nazistas nas Ilhas Britânicas vazaram

Documentos vazados, que deveriam permanecer confidenciais até 2045, revelaram atrocidades cometidas nos únicos campos de concentração que os nazistas conseguiram construir nas Ilhas do Canal da Mancha, de acordo com uma reportagem da Makko.

O relato vem de um oficial britânico de 24 anos que entrevistou muitas testemunhas que lhe descreveram as atrocidades. O campo abrigava principalmente judeus franceses, mas também prisioneiros de guerra russos e prisioneiros políticos alemães.

Os prisioneiros descreveram algumas das atrocidades, incluindo espancamentos, fome e um evento em que um prisioneiro foi forçado a sentar-se por meia hora em uma estufa acesa.

As ilhas foram conquistadas pelos nazistas em 1940, depois que o então primeiro-ministro britânico Winston Churchill decidiu que eram de pouca importância estratégica. Os nazistas, então, começaram a construir uma fortaleza e campos de trabalho, com cerca de 6.000 prisioneiros, de acordo com a matéria.

LEIA TAMBÉM

Os documentos confirmam que os britânicos investigaram o que aconteceu nas ilhas depois da guerra, mas não acusaram ninguém por medo de criar um incidente internacional constrangedor.

O documento aparentemente vazou de uma cópia dada aos russos.

Em abril, promotores alemães disseram não ter evidências suficientes para processar um homem de 95 anos que foi deportado dos Estados Unidos sob suspeita de envolvimento em crimes de guerra nazistas.

Fonte: Noticias de Israel
Foto: MAN VYI (Wikimedia Commons, via Noticias de Israel)