Enviada dos EUA expressa apoio a ONGs palestinas

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield, que recentemente visitou Israel e Ramallah, tuitou: “Esta semana, tive a chance de me encontrar com líderes da sociedade civil em Ramallah. Fui inspirada por seu trabalho para promover a democracia, os direitos humanos e as oportunidades econômicas para o povo palestino. Apoiamos o papel das ONGs palestinas no monitoramento dos abusos dos direitos humanos onde quer que ocorram”.

Israel declarou, no final de outubro, que seis grupos civis estavam ligados à Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP). O anúncio gerou inúmeras condenações, já que a maioria deles recebeu financiamento europeu e internacional.

Após uma investigação do Shin Bet, as autoridades israelenses alegaram que a FPLP havia usado as organizações para canalizar com sucesso fundos de doadores europeus para o grupo terrorista.

As seis organizações palestinas em questão – al-Haq, Addameer, a União de Comitês de Trabalho Agrícola, Defesa para Crianças Internacional – Palestina, Bisan e a União de Comitês de Mulheres Palestinas – são grupos proeminentes e bem estabelecidos.

Quinta-feira, o representante da União Europeia, Josep Borrell, declarou que Israel ainda não tinha enviado provas definitivas de que as seis organizações palestinas banidas estavam ligadas à FPLP. As autoridades israelenses confirmaram a designação, apesar das críticas internacionais, repetindo que há evidências sólidas que comprovam as ligações das organizações com o terrorismo.

LEIA TAMBÉM

Enquanto estava em Ramallah, Thomas-Greenfield pressionou o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, sobre as questões de direitos humanos e pagamentos a prisioneiros de segurança em prisões israelenses, de acordo com seu gabinete. Ela “enfatizou a importância de respeitar os direitos humanos e evitar ações que minem as perspectivas de uma solução de dois estados, como atividades de assentamento, despejos, incitação à violência e pagamentos a indivíduos presos por terrorismo”, disse um relatório dos Estados Unidos.

“Não aceitamos de forma alguma a classificação de seis organizações civis palestinas como terroristas pelas autoridades de ocupação”, disse Abbas a Thomas-Greenfield durante a reunião, de acordo com a agência de notícias Wafa.

Fonte: The Times of Israel
Foto: David Cohen (Flash90)