Escritora cancela turnê por Israel por pressão do BDS

Após uma campanha de assédio por ativistas antiisraelenses que zombaram da morte de seu filho, a popular escritora de romances Chloe Walsh anunciou que estava cancelando sua turnê em Israel.

Walsh postou um story no Instagram dizendo o quanto estava grata aos fãs israelenses depois que ingressos para sua turnê de três dias esgotou em seis minutos. Em resposta, ativistas do Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) começaram a atacá-la, exigindo que ela não saísse em turnê.

A autora irlandesa perdeu um de seus gêmeos durante a gravidez há apenas um ano. Os ativistas disseram em suas mensagens que o menino havia morrido por causa da associação de Walsh com Israel. Ela também recebeu ameaças de morte contra ela e sua família, segundo apoiadores.

“Mensagens dizendo que meu filho merecia morrer porque eu disse obrigado aos meus leitores por me apoiarem são doentias!”. Walsh disse em um post de quarta-feira. “Sou grata a todos que leem meus livros. Não é uma declaração política e me dizer que é minha culpa que meu filho tenha morrido em mensagens e DMs [mensagens diretas] é mais do que cruel”.

Safrut She’nogaat, a editora israelense de livros de romance que organizou o evento com Walsh, escreveu em um comunicado na quarta-feira que a autora estava “ferida e com muito medo, a situação a estressou mentalmente e ela está muito angustiada”.

“Sinto muito que meu post tenha ofendido alguém”, escreveu Walsh. “Foi uma falta de consideração e eu não quis ofender. Claro que você deve saber. Eu não quis ofender e peço profundas desculpas àqueles que machuquei por minha estupidez e ignorância. Sinto muito”.

LEIA TAMBÉM

A autora de romances Nikki Ashton, que afirmou ser amiga de Walsh, escreveu no Facebook que a autora ainda estava de luto pela perda de seu filho, mas que ela é “uma das pessoas mais fortes que conheço”.

Fãs e apoiadores têm sido compreensivos e apoiaram o cancelamento de Walsh, e também enviaram mensagens de encorajamento para “fazê-la sentir que há luz, não apenas escuridão”, disse Safrut She’nogaat.

“Chloe, quer você decida vir ou não, nós a apoiamos e desejamos nada além do melhor”, dizia uma petição online que os fãs começaram a circular. “Esse pedido é para te mostrar que muitas pessoas boas te amam. As pessoas que se envolvem em bullying online não são boas pessoas, e você não merece esse tratamento”.

Fonte: Noticias de Israel
Foto: Editora Safrut She’nogaat