Especialistas apoiam quarta dose para maiores de 18 anos

O painel de especialistas que assessora o Ministério da Saúde sobre o coronavírus recomendou, na terça-feira, oferecer uma quarta dose da vacina a israelenses com 18 anos ou mais, com a condição de que cinco meses tenham se passado desde que receberam a terceira dose ou se recuperaram da doença.

A recomendação, que expandiria o alcance limitado da quarta dose (para israelenses acima de 60 anos e adultos em risco), ainda aguarda aprovação do diretor-geral do Ministério da Saúde antes da implementação.

O painel citou dados que mostram que uma quarta dose da vacina COVID-19 administrada a pessoas com mais de 60 anos em Israel as tornou três vezes mais resistentes a doenças graves do que pessoas vacinadas três vezes, na mesma faixa etária.

Este número é baseado em uma comparação com pessoas da mesma faixa etária que receberam uma terceira dose pelo menos quatro meses antes. O ministério disse que sua análise foi baseada em estatísticas de cerca de 400.000 pessoas que receberam a quarta dose e 600.000 que receberam a terceira dose.

Na semana passada, um estudo do Sheba Medical Center mostrou que uma quarta dose da vacina COVID-19 aumenta os anticorpos para níveis ainda mais altos do que a terceira, mas provavelmente não é suficiente para prevenir infecções por omicron.

O estudo, liderado pela Profa. Gili Regev-Yochay, incluiu 270 funcionários que receberam a quarta dose e um grupo de controle de funcionários que não a receberam.

LEIA TAMBÉM

Regev-Yochay, que não faz parte do painel consultivo que fez a recente recomendação, criticou a decisão e disse que o número de jovens israelenses em “estado grave ou em máquinas de ECMO” ainda é baixo e que, portanto, oferecer uma quarta dose para “jovens é errado.”

Ela também expressou preocupação de que a medida reduzisse a confiança do público nas vacinas e no sistema de saúde.

Um membro do painel que apoiou a decisão, no entanto, afirmou que “os jovens que receberam três doses estão razoavelmente protegidos, mas se alguém quiser melhorar o nível de proteção, uma quarta dose certamente fará isso”.

Dos 50 membros do painel consultivo, 33 votaram a favor da decisão. Oito eram a favor de permitir que apenas pessoas acima de 40 anos recebessem a quarta dose e oito acreditavam que apenas israelenses em risco deveriam receber o segundo reforço. Um membro do painel foi contra a expansão da campanha de vacinação no momento.

Na segunda-feira, o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, falou sobre a quarta dose em entrevista à Rádio Israel, dizendo que a decisão de permitir a quarta dose para idosos e imunossuprimidos não foi uma escolha fácil. Sobre vacinar a população em geral, ele disse: “Não acho que iremos nesta direção”.

O anúncio do Ministério da Saúde veio após a divulgação de estudos nos EUA liderados pelos Centros de Controle de Doenças que analisaram a proteção da vacina contra o omicron.

Fonte: Haaretz
Foto: Revista Bras.il