Israel é o número um do mundo em infecções

O professor Eran Segal, um dos principais conselheiros do governo sobre COVID, disse na segunda-feira que espera que a propagação da variante Omicron diminua esta semana, acreditando que Israel atingiu o pico da onda atual, mas previu dias difíceis à frente.

“A infecção Omicron se espalhou de maneira semelhante ao modelo que aprendemos com a taxa de disseminação em outros países”, disse Segal à Ynet. “Esta semana, esperamos ver uma diminuição nas infecções. Já estamos vendo uma queda naqueles com mais de 60 anos”.

Segal disse que acredita que cerca de 3 milhões de israelenses já tenham sido infectados, incluindo muitos não confirmados positivos, observando que Israel é atualmente o número um do mundo, com o maior número de infecções per capita na semana passada.

As estatísticas do Ministério da Saúde divulgadas na tarde desta segunda-feira mostraram 83.088 novas infecções registradas no dia anterior, quebrando facilmente o recorde anterior de testes positivos diários estabelecido na quinta-feira, que estava perto de 75.000. Com mais de 415.000 testes de PCR e antígeno realizados no domingo, a taxa de positividade ficou em 23,23%.

Na tarde de segunda-feira, 531.430 israelenses estavam ativamente infectados, com 2.126 hospitalizados, 814 em estado grave e 166 em ventiladores. Há uma semana, os casos graves eram de 459 e, há duas semanas, o número era de apenas 215.

Nas últimas duas semanas, mais de 850.000 israelenses testaram positivo para COVID, com especialistas acreditando que o número real de infecções pode ser muito maior.

LEIA TAMBÉM

Segal disse à Rádio do Exército, na manhã desta segunda-feira, que atingir o pico de infecções não é um sinal claro.

“Quando pararmos de ver um aumento de novas infecções, continuaremos a ver um aumento de casos graves”, disse Segal. “Espero que na próxima semana atinjamos um pico e vejamos estabilidade e o início de uma queda”.

O diretor-geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, instruiu os diretores do hospital, na segunda-feira, a se prepararem para um possível atraso em outros tratamentos. Em uma carta, Ash disse que eles devem estar preparados para um influxo de pacientes com COVID e devem liberar leitos para abrir espaço, inclusive em enfermarias não dedicadas ao tratamento do vírus.

Segal disse que, embora acredite que Israel está “se aproximando do fim desta onda, a chance de ser infectado agora é a maior desde o início da pandemia”. Ele disse que se infectar com o COVID “não é inevitável; estes são os dias em que devemos ter cuidado, em particular aqueles que estão em alto risco”.

Também na segunda-feira, o ministro do Turismo, Yoel Razvozov, e o vice-ministro do gabinete do primeiro-ministro, Abir Kara, testaram positivo para o COVID-19, assim como o líder do partido Ra’am, MK Mansour Abbas.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva

One thought on “Israel é o número um do mundo em infecções

Fechado para comentários.