Exército de Israel evita ataque terrorista

Um ataque terrorista de grande escala foi evitado nesta manhã, na fronteira com a Faixa de Gaza.

“Não se pode determinar se o ataque foi dirigido a soldados ou civis, mas um grande ataque terrorista foi frustrado”, disse o porta-voz militar, Brigadeiro Ronen Manelis.

As sentinelas das IDF detectaram quatro terroristas se aproximando do sistema de cercas do sul da Faixa de Gaza. Os palestinos estavam armados com fuzis AK-47 Kalachnikov, granadas de mão e mísseis anti-tanque RPG.

“O incidente começou às quatro da manhã, com o alerta dos observadores que identificaram o movimento de quatro indivíduos armados no movimento operacional”, explicou Manelis.

Os combatentes da Brigada Golani, que entraram em ação no incidente após a identificação, abriram fogo e mataram um dos terroristas depois que este atravessou a cerca e atirou uma granada contra os soldados. “Um dos terroristas cruzou nosso território e foi atingido por balas, e os outros três morreram junto à cerca”, disse o porta-voz militar.

“A ação imediata da Brigada levou à rápida conclusão do incidente. Este é um bom exemplo do alto estado de alerta da equipe na prevenção de um ataque terrorista na área. A possibilidade de outros eventos similares foi levada em conta”, disse Manelis.

“A célula que encontramos estava armada com fuzis Kalashnikov, mísseis anti-tanque RPG, granadas e bombas, além de sacolas com provisões de alimentos e um kit médico que está sendo examinando para ver se era para primeiros socorros ou para outros usos”.

Durante a ação contra o ataque terrorista, houve disparos de um tanque na área.

Os quatro terroristas usavam uniformes militares improvisados, nem todos da mesma unidade, mas todos com o mesmo equipamento. “Entendemos que com essa equipe e com essa preparação, não foi algo decidido da noite para o dia e improvisado, mas algo planejado.

“Aqui um grande ataque terrorista foi interrompido. Estamos em dias muito sensíveis com o assassinato do jovem soldado e a lembrança da destruição do Templo Judaico de Jerusalém em Tisha BeAv. A ação da 12ª Brigada e da 82ª Brigada alcançou seu objetivo de evitar o ataque”.

Manelis disse que as Forças de Defesa de Israel atribuíram a responsabilidade ao Hamas pelo ataque à fronteira de Gaza. “Ao contrário de um incidente isolado em que apenas uma pessoa decide, havia uma infra-estrutura organizada. A responsabilidade na Faixa de Gaza é do seu soberano: o Hamas. Espera-se que o Hamas controle os incidentes e os evite e é, portanto, responsável pelo que acontece na Faixa de Gaza nesses aspectos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *