Futuro Ministro das Finanças quer rever orçamento

Embora o acordo da coalizão ainda não tenha sido publicado, vários detalhes vazaram para a mídia, e foi relatado que o Ministro das Finanças indicado, Avigdor Lieberman, já está se preparando para implementar sua agenda.

No topo dessa agenda está a comunidade haredi. De acordo com a Ynet, Lieberman solicitou ao departamento de orçamento do Ministério das Finanças uma lista detalhada de organizações, em particular as haredim, que têm recebido financiamento por meio dos atuais acordos de coalizão.

Em questão, estão bilhões de shekels desembolsados ​​para várias associações e instituições sem fins lucrativos de vários tipos por meio de verbas suplementares fora do orçamento geral do Estado. O financiamento é legal, mas não tem sido regular, sujeito às vicissitudes da política.

Entre as áreas sob o escrutínio de Lieberman estarão programas para jovens em todos os setores, religiosos, seculares e árabes, que passaram pelo Ministério da Educação.

O propósito declarado é “impor ordem” em uma ampla área de financiamento onde falta supervisão.

LEIA TAMBÉM

O presidente do Comitê de Finanças do Knesset que está de saída, Moshe Gafni, do Judaísmo Unido da Torá, teria dito à Ynet que há muito reclama que esse dinheiro é administrado de forma desorganizada. “Essas transferências devem ser feitas no orçamento do estado, para que tudo seja feito de forma transparente”. Não há declaração de Gafni sobre como isso pode afetar a comunidade haredi especificamente.

Também na quarta-feira, o Canal 12 disse que Lieberman tentará suspender os benefícios de desemprego para israelenses com menos de 45 anos.

Outros planos econômicos de Lieberman incluem aprovar um orçamento estadual de dois anos, evitando aumento de impostos ou cortes significativos nos gastos do governo, investindo dezenas de bilhões de shekels em infraestrutura e um plano plurianual de gastos com defesa.

Fonte: Hamodia
Foto: Pixabay

One thought on “Futuro Ministro das Finanças quer rever orçamento

Fechado para comentários.