Governo alivia entrada de palestinos em Al-Aqsa

O Ministério da Defesa anunciou na terça-feira que algumas restrições para os palestinos da região da Samaria e Judéia serão aliviadas para o mês sagrado do Ramadã, embora a recente onda de ataques terroristas tivesse levantado brevemente a perspectiva de o gesto ser cancelado.

Mulheres, crianças e alguns homens poderão entrar livremente em Israel para as orações de sexta-feira na Mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, para a festividade do Ramadã.

O ministro da Defesa, Benny Gantz, disse ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em um telefonema na noite de terça-feira, que as medidas podem ser ampliadas ainda mais se a onda de terror parar. “Enfatizei a Abbas que Israel está pronto para expandir suas medidas civis durante e após o mês do Ramadã, de acordo com a situação de segurança”, disse Gantz em comunicado.

Sob as novas regras do Ramadã, as mulheres palestinas da região da Samaria e Judéia poderão entrar em Israel sem permissão para as orações de sexta-feira na mesquita de Al-Aqsa, disse a Coordenação de Ações do Governo nos Territórios (COGAT), que faz ligação do Ministério da Defesa com os palestinos.

Homens palestinos com mais de 50 anos e meninos com menos de 12 anos também poderão entrar livremente em Israel para as orações de sexta-feira, enquanto aqueles entre 40 e 49 anos poderão ir para Al-Aqsa se tiverem permissão. Homens com menos de 40 anos não serão permitidos, de acordo com a política atual, exceto se tiverem uma autorização que os permita entrar em Israel às sextas-feiras.

Centenas de milhares de palestinos da região da Samaria e Judéia frequentam regularmente a Al-Aqsa durante o Ramadã. A mesquita é o terceiro local mais sagrado do Islã e a oração é uma característica central do mês sagrado para muitos muçulmanos palestinos.

LEIA TAMBÉM

O local é reverenciado pelos judeus como o mais sagrado de sua tradição: acredita-se que ambos os templos bíblicos tenham sido construídos no topo da colina.

Cerca de 5.000 palestinos com parentes de primeiro grau em Israel também receberão permissão para visitá-los entre domingo e quinta-feira durante a próxima semana, segundo a COGAT.

Não houve mudança na política em relação à Faixa de Gaza. As autoridades israelenses impõem restrições muito mais rigorosas ao movimento na área, que é governado pelo grupo terrorista Hamas.

Os ministros israelenses já tinham aprovado a política mais frouxa na quarta-feira passada. A recente onda de terror que deixou 11 mortos deixou brevemente a mudança de política em dúvida.

As novas regras de restrições serão aplicadas apenas na próxima semana, após a qual as autoridades de segurança se reunirão novamente para revisar a política e discutir a possível expansão das cotas de permissão, disse a COGAT.

Por razões de segurança, Israel regula rigidamente o movimento de palestinos da área da Samaria e Judeia e Gaza para seu território. Mas as autoridades israelenses aliviam regularmente algumas dessas restrições ou emitem permissões especiais durante feriados muçulmanos e cristãos.

Em um telefonema para o The Times of Israel na semana passada, um funcionário do Fatah, falando sob condição de anonimato, alertou que impor um bloqueio aos palestinos ou cancelar o relaxamento das restrições no feriado aumentaria as tensões entre os dois lados.

Fonte: The Times of Israel
Fotos: Canva e Wikimedia

One thought on “Governo alivia entrada de palestinos em Al-Aqsa

Fechado para comentários.