Governo anuncia plano de segurança nas estradas

O primeiro-ministro Yair Lapid, cuja irmã Michal morreu em um acidente de trânsito, em 1984, disse no domingo que a ministra dos Transportes, Merav Michaeli, anunciaria formalmente um plano para melhorar a segurança nas estradas.

“Esta luta está em nossas almas”, disse Lapid. “Lembro-me do momento em que cheguei em casa e meus pais estavam esperando por mim na porta, chorando, e me disseram que minha irmã havia morrido em um acidente de carro, aos 24 anos”, disse Lapid.

“Cada acidente que você ouve na mídia acaba com uma família. O que torna ainda mais terrível é que muitos desses acidentes podem ser evitados com o trabalho adequado”, disse ele.

“O Estado de Israel não fez o suficiente para combater os acidentes rodoviários. Nos últimos anos, outros países conseguiram reduzir os acidentes fatais em dezenas de pontos percentuais porque agiram corretamente. Agora, esse governo está fazendo uma mudança e vai trabalhar nessa área também”, disse.

No mês passado, Michaeli anunciou um plano plurianual destinado a melhorar a segurança rodoviária com o objetivo de reduzir as baixas em 50%, incluindo a instalação de 4.000 câmeras de vigilância de tráfego.

No domingo, números oficiais da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária mostraram que 244 pessoas morreram nas estradas de Israel desde o início do ano.

Desde a fundação do Estado, em 1948, houve 34.917 mortes na estrada, incluindo 5.211 crianças.

LEIA TAMBÉM

Israel ficou em último lugar em um recente relatório europeu de segurança no trânsito comparando os países da região com base em sua capacidade de reduzir as mortes anuais no trânsito na última década.

De acordo com o relatório, os países europeus conseguiram, em média, reduzir as mortes no trânsito em 31% entre 2011 e 2021, enquanto Israel teve uma queda de apenas 4,7% nesse período.

Segundo o site de notícias Ynet, Israel tem uma média de seis mortes nas estradas por bilhão de quilômetros de uso das estradas, o dobro da média europeia.

De acordo com o plano do governo, o país será dividido em clusters geográficos que serão tratados de acordo com suas necessidades específicas.

Ele dará especial atenção aos motoristas da comunidade árabe e jovens motoristas, veículos pesados ​​de mercadorias, ônibus, veículos de transporte e veículos de duas rodas.

O plano quinquenal está dependente da aprovação do Orçamento do Estado para 2023, o que só acontecerá depois das eleições de 10 de novembro.

O anúncio de domingo ocorreu em meio ao caos do trânsito no centro do país, enquanto as autoridades fechavam um buraco de 15 metros de profundidade que se abriu em uma importante rodovia de Tel Aviv e continuavam a avaliar os danos causados ​​por ele.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.