Governo se reúne para discutir novas restrições

O governo israelense se reunirá, nesta terça-feira, para discutir o ressurgimento do vírus no país devido à variante Delta, que se espalha rapidamente.

Se os cidadãos israelenses não cooperarem nos esforços para conter o novo surto de coronavírus e a morbidade continuar a aumentar, o governo trará de volta algumas restrições, especialmente aquelas relacionadas com o passaporte verde, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett no domingo.

No encontro, serão apresentadas aos ministros propostas para diminuir a morbidade, que aumentou consideravelmente nas últimas semanas. De acordo com o Canal 12, o governo está considerando reintroduzir o “Passaporte Verde”, que impediria aqueles que não estão imunizados de acessar alguns locais.

O governo também deve começar a fiscalizar o uso de máscaras em ambientes fechados, depois de restaurar a obrigação que havia sido suspensa no mês passado.

LEIA TAMBÉM

O Ministério da Saúde também está considerando obrigar os pais vacinados de crianças com teste positivo para COVID a permanecer em quarentena até que recebam um teste negativo, informou o Canal 13, no domingo, embora o ministro da saúde expresse reservas sobre o custo econômico dessa medida.

Espera-se que o gabinete corona decida por uma operação com milhares de inspetores em locais de entretenimento, garantindo que o público realmente use as máscaras conforme determinado.

Hoje, segunda-feira, o primeiro-ministro Naftali Bennett e o ministro da Saúde Nitzan Horowitz terão uma discussão sobre a necessidade da terceira vacina.

O Canal 12, informou no domingo à noite que o Ministério da Saúde, em breve, ofereceria uma terceira dose a todos os israelenses que o desejassem, embora a Pfizer-BioNTech ainda não tenha endossado tal reforço.

Relatos da mídia haviam dito que o Ministério da Saúde recomendaria uma terceira dose para os imunocomprometidos. O sistema de saúde verificou que as duas doses administradas a pessoas com sistema imunológico fraco não forneciam anticorpos suficientes, então seria recomendada outra dose que lhes daria uma proteção um pouco maior.

Fontes: The Jerusalem Post, Kipa e Maariv
Foto: Gerd Altmann (Pixabay)